# Notícias Gerais

26 de Junho de 2017 às 15:11

Veja o vídeo: Fã invade palco, derruba Simaria e leva soco de Simone em show na Bahia

A invasão aconteceu no momento em que elas cantavam o hit "Regime Fechado".



 


O show da dupla sertaneja Simone & Simaria em Amargosa, na Bahia, na noite deste domingo, foi interrompido depois que um homem subiu no palco e derrubou Simaria. Ao perceber a irmã em apuros, Simone não hesitou antes de dar um soco no "invasor", que foi imediatamente controlado por seguranças e levado para fora do palco.

Imagens que circulam pela internet mostram o susto. O vídeo abaixo, gravado da plateia, mostra que o homem, de camisa branca, entra pelo lado esquerdo do palco e agarra Simaria, mas é logo contido por seguranças (para ver, avance o cronômetro para 1min20s).

A invasão aconteceu no momento em que elas cantavam o hit "Regime Fechado", um dos preferidos dos fãs da dupla. Depois de ajudar a irmã, Simone parou o show e, quando os seguranças removeram o suposto fã, ela se dirigiu ao público:

"Vocês vão me perdoar, mas na hora que eu vi o cara derrubar a minha irmã no chão eu meti a porrada mesmo. Quem tem irmão sabe, eu dou minha vida pela minha irmã e, em uma situação dessa, meu instinto de irmã falou mais alto", explicou a cantora, ao ressaltar que o homem ainda "deu uma unhada" em seu braço.
 

O show recomeçou depois de três minutos de conversa com a plateia. A cantora alertou que poderia ter sido pior, ter quebrado o braço ou a perna da parceira. Alvo do suposto fã, Simaria relatou que estava "tremendo" e que havia se machucado "de verdade".

"Ralou meu joelho mesmo, me machuquei de verdade. Mas isso vai servir de lição pra um monte gente. Não precisa fazer isso (...) É a mesma coisa de jogar celular no palco. Já levei celular na cara. Não façam isso, porque machuca mesmo, é falta de respeito. Na hora que der, vocês vão ter um abraço nosso, com certeza. A gente é de vocês", destacou Simaria.

A assessoria de imprensa da dupla informou que as duas não vão se manifestar sobre o susto. Assim que o vídeo viralizou, Simaria virou um dos assuntos mais comentados no Twitter. Fãs elogiaram a iniciativa de defesa de Simone, lamentaram que a irmã tenha se machucado e criticaram o homem que invadiu o palco e tocou na cantora sem consentimento e forma agressiva.

Fonte: Extra

 

26 de Junho de 2017 às 09:20

Evangelho do Dia

Tira primeiro a trave do teu próprio olho.

"Não julgueis, e não sereis julgados. Porque do mesmo modo que julgardes, sereis também vós julgados e, com a medida com que tiverdes medido, também vós sereis medidos. Por que olhas a palha que está no olho do teu irmão e não vês a trave que está no teu? Como ousas dizer a teu irmão: Deixa-me tirar a palha do teu olho, quando tens uma trave no teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave de teu olho e assim verás para tirar a palha do olho do teu irmão”.

Evangelho de hoje: Mt 7,1-5

26 de Junho de 2017 às 11:18

Avião com 500 quilos de cocaína é interceptado pela FAB em Goiás

A aeronave foi removida para o quartel da Polícia Militar de Goiás em Jussara. A droga apreendida será encaminhada para a Polícia Federal em Goiânia

Um avião bimotor com cerca de 500 quilos de cocaína foi interceptado no domingo, (25) no interior de Goiás, por um avião A-29 Super Tucano da Força Aérea Brasileira (FAB). A ação faz parte da Operação Ostium para coibir ilícitos transfronteiriços, na qual atuam em conjunto a FAB, a Polícia Federal e órgãos de segurança pública.

Segundo nota divulgada pela Aeronáutica, o avião decolou da Fazenda Itamarati Norte, no município de Campo Novo do Parecis (MT) com destino a Santo Antonio Leverger (MT). O piloto da FAB comandou a mudança de rota e o pouso obrigatório no aeródromo de Aragarças (GO). Inicialmente, a aeronave interceptada seguiu as instruções da defesa aérea, mas ao invés de pousar no aeródromo indicado, arremeteu. O piloto da FAB novamente comandou a mudança de rota e solicitou o pouso, porém o avião não respondeu, sendo classificado como hostil.

O A-29 da FAB executou um tiro de aviso para forçar o piloto da aeronave interceptada a cumprir as determinações da Defesa Aérea, e voltou a comandar o pouso obrigatório. O bimotor novamente não respondeu e pousou na zona rural do município de Jussara, interior de Goiás. Um helicóptero da Polícia Militar de Goiás foi acionado e fez buscas no local.

O avião foi removido para o quartel da Polícia Militar de Goiás em Jussara.

A droga apreendida e encaminhada para a Polícia Federal em Goiânia.

Fonte: Agência Brasil fotos: Polícia Militar do Estado de Goiás

26 de Junho de 2017 às 09:05

Anvisa pode liberar vacinação em farmácias

Entidades criticam proposta e alertam para o risco aos pacientes e interesses comerciais

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) está elaborando regulamentação que trata sobre os requisitos mínimos para o funcionamento dos serviços de vacinação no país. A norma já passou por consulta pública e, se aprovada, permitirá que farmácias apliquem vacinas. Entretanto, entidades médicas temem que a resolução possa precarizar o serviço de vacinação e colocar em risco a população.

Segundo a Anvisa, a permissão para farmácias disporem de vacinas está prevista na Lei nº 13.021/2014, que trata sobre o exercício e a fiscalização das atividades farmacêuticas, e, com ela, a regulamentação vigente sobre o controle sanitário para estabelecimentos privados de vacinação, se tornou insuficiente para farmácias e drogarias.

“A fim de diminuir o risco da população brasileira frente ao possível uso e administração inadequados de um medicamento tão peculiar quanto a vacina, principalmente em estabelecimentos que não têm um histórico antigo na prática da vacinação, a Anvisa propõe norma sanitária com requisitos mínimos para a prestação dos serviços de vacinação”, diz a Anvisa, na justificativa da proposta.

Atualmente, além da rede pública, somente clínicas de vacinação podem oferecer o serviço, regulamentadas pela Portaria Conjunta Anvisa/Funasa nº 01/2000.

Entre outras exigências, pela norma atual, a clínica deve ter um médico como responsável técnico pelo estabelecimento. Segundo a presidente da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações), Isabella Ballalai, essa exigência é muito importante e está sendo retirada da nova proposta. “Ela tira a obrigatoriedade de maca, consultório e médico para atender evento adverso, desde o desmaio até anafilaxia. Isso não é serviço de vacinação, é aplicação de injeção”, disse ela, explicando que o médico especialista em vacinação é importante desde a triagem até o diagnóstico de reação à vacina.

A proposta de regulamentação em análise na Anvisa diz que o estabelecimento deve ter um profissional habilitado e capacitado para o serviço de vacinação. Também prevê que, em caso de intercorrências, ele deve garantir o encaminhamento do paciente ao serviço médico. E as vacinas que não fazem parte do calendário oficial do Programa Nacional de Imunizações deverão ser feitas mediantes prescrição médica.

Riscos à população

Para Isabella, esses requisitos não são suficientes e, acabar com as regras atuais pode ser prejudicial para a cobertura vacinal, pois um serviço precário de vacinação pode levar medo às pessoas. “A SBIm não discute onde a vacina é aplicada, na clínica médica ou farmácia, o que defendemos é a qualidade e manutenção das normas para que a vacinação não seja banalizada e a população não corra risco de erros. As normas deveriam ser mais exigentes e não menos”, disse a médica.

“Estamos falando de movimentos de antivacinismos, mitos, medos, famílias que circulam informações erradas em redes sociais. Um erro pontual pode fazer a população perder a confiança na imunização. Que sejam bem-vindas as farmácias, desde que o rigor nas exigências seja mantido”.

O presidente da ABCVAC (Associação Brasileira das Clínicas de Vacinas), Geraldo Barbosa, concorda que os requisitos mínimos propostos podem prejudicar os serviços. “Não somos contra vacina estar em farmácias. Mas temos um nível de exigências que se provou muito eficaz para conseguir os resultados de imunização. Então, se vai entrar farmácia nesse mercado, porque flexibilizar a lei?”, disse, informando que os laboratórios de análise clínica passaram a oferecer vacinas porque se enquadraram na legislação atual.

Segundo a presidente da SBIm, também é errado falar em maior acesso da população às vacinas, pois as farmácias devem priorizar grandes mercados. Além disso, ela explica que a indústria de vacina não foi levada em conta para a edição da proposta de regulamentação. “A falta de vacinas que vivemos na rede privada é absurda, e isso deve ser colocado em discussão. E com o aumento dessa rede pode ser que se tenha menos vacinas ainda porque os fabricantes não conseguem atender o mercado”, argumentou Isabella.

Barbosa complementa dizendo que a previsão para a demanda atual de vacinas ser normalizada é entre 2020 e 2022, porque os laboratórios já estão no limite de produção e novas fábricas estão sendo construídas.

Interesse comercial

Para ele, o interesse comercial das farmácias é apenas na vacina contra gripe. “Não estão preocupados com o esquema vacinal completo”, disse. Segundo Barbosa, a vacina contra gripe é o que ajuda a manter o custo operacional das clínicas de vacinação, já que a operação de outras vacinas é quase negativo. Então, para ele, a nova regulamentação pode prejudicar a qualidade e acesso ao serviço quando as clínicas começarem a cortar custos com outras vacinas para pode competir no mercado.

A norma ainda está em elaboração e recebeu centenas de contribuições durante a consulta pública, que ocorreu no mês de maio. Não há prazo para a votação no colegiado da Anvisa.

Para o presidente do CFF (Conselho Federal de Farmácia), Walter da Silva Jorge João, a possibilidade das farmácias aplicarem vacina é uma ação social e as farmácias irão se adequar à regulamentação da Anvisa para garantir a qualidade do serviço e as condições impostas.

“Temos que ver as farmácias como unidades prestadoras de atenção à saúde e assistência farmacêutica, que têm sua contribuição com as políticas de saúde do país. É um avanço social. E vacina é medicamento e, sendo medicamento, o farmacêutico tem propriedade para fazer a aplicação”, disse.

Segundo João, a indústria precisa ter um olhar positivo para a situação dos estoques, pois vai aumentar o número de postos que passarão a oferecer as vacinas. O presidente do conselho ressalta ainda que o Brasil possui 80 mil farmácias e a concorrência com as clínicas de imunização vai ajudar na queda dos preços de vacina para a população.

A proposta de regulamentação sobre os requisitos mínimos para o funcionamento dos serviços de vacinação no país está disponível na página da Anvisa.

Fonte: Agência Brasil

26 de Junho de 2017 às 08:48

Funerária São Pedro e Príncipe da Paz informa: Faleceu em Patos de Minas (MG) Sra. Maria Bontempo Rabelo aos 90 anos.

Sepultada dia 25/06/2017

Faleceu em Patos de Minas dia 24/06/2017, a Sra Maria Bontempo Rabelo aos 90 anos.

Deixa os filhos: Oswando, Evando (Tulim do Bar), Jose Geraldo.Erenita, Maria Irene, Helio. Heli, Luis e Vera Lucia, genros, noras, netos, bisnetos irmãos e demais familiares.

O corpo foi velado no Velório Príncipe da Paz, Rua Ouro Preto 798 bairro Várzea.

Sepultamento foi no dia 25.06.2017 as 10:00 hs no Cemitério Santa Cruz.

24 de Junho de 2017 às 12:01

Evangelho do Dia

Nascimento de João Batista.

No oitavo dia, foram circuncidar o menino e o queriam chamar pelo nome de seu pai, Zacarias. Mas sua mãe interveio: "Não” – disse ela – "ele se chamará João”. Replicaram-lhe: "Não há ninguém na tua família que se chame por este nome”. E perguntavam por acenos ao seu pai como queria que se chamasse. Ele, pedindo uma tabuinha, escreveu nela as palavras: "João é o seu nome”. Todos ficaram pasmados. E logo se lhe abriu a boca e soltou-se sua língua e ele falou, bendizendo a Deus. [...] O menino foi crescendo e fortificava-se em espírito, e viveu nos desertos até o dia em que se apresentou diante de Israel.

Evangelho de hoje: Lc 1,57-66.80

24 de Junho de 2017 às 09:23

Aprovação do governo de Michel Temer continua em queda, aponta Datafolha

Apenas 7% dos brasileiros consideram o governo como ótimo ou bom

Uma pesquisa do Datafolha realizada esta semana mostrou que a aprovação do governo de Michel Temer continua em queda. Apenas 7% dos brasileiros consideram o governo como ótimo ou bom.

A impopularidade do peemedebista aumentou mais após a divulgação da delação da JBS, que caiu como uma bomba sobre o Palácio do Planalto já que o empresário Joesley Batista, sócio da JBS, gravou uma conversa com o presidente em março relatando crimes. O encontro aconteceu depois das dez horas da noite, fora da agenda do presidente na residência oficial.

Atualmente, a gestão Temer é considerada ruim ou péssima por 69% do eleitorado e regular por 23%. Dois meses atrás, a sua taxa de ruim e péssimo estava em 61% e a de ótimo ou bom, em 9%. Aqueles que o consideraram regular somavam 28% no final de abril.

Não souberam responder como avaliam o governo 2% dos entrevistados. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais e para menos. A nota do presidente caiu de 3 para 2,7.

Fonte: R7

24 de Junho de 2017 às 09:17

Dois anos após a morte, Cristiano Araújo é o 27º artista mais ouvido do Brasil

Músicas do cantor tiveram desempenho melhor que em 2016

Apesar de ter a fama contestada na época da tragédia que tirou sua vida aos 29 anos, Cristiano Araújo continua entre os artistas mais tocados nas rádios brasileiras mesmo dois anos após a morte.

O cantor atualmente é o 27º artista que mais ouvido do Brasil, segundo dados emitidos pela Connectmix, que afere a execução em rádios de todo o território nacional.

O desempenho parcial deste ano supera o de 2016, quando ele atingiu a 35ª posição dessa mesma lista.

A música mais ouvida de Cristiano Araújo em 2017 é Maus Bocados, que foi tocada 44 mil vezes até junho. É Com Ela Que Eu Estou vem logo em seguida, com 41 mil execuções. Cê Que Sabe fecha o top 3 do artista, com 40 mil plays. Ao todo, 16 músicas de Cristiano entram na lista das 2 mil mais ouvidas do País neste ano.

Entenda o fenômeno 

Embora um ilustre desconhecido para parte dos habitantes dos grandes centros, em 2015, quando morreu, o cantor vivia o melhor momento da carreira e era considerado um ídolo do sertanejo no interior de Estados do Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

A fama é fruto de um trabalho que começou ainda na infância. O pai de Cristiano, João Reis, sempre incentivou e apostou no sucesso do filho, tanto que fazia questão que ele seguisse carreira solo para não dividir os holofotes com outro cantor.

O reconhecimento pode ter demorado mais do que eles previam, mas chegou. Em 2011, aos 25 anos, Cris lançou a faixa Efeitos, que se tornou uma das mais populares no País naquele período.

A música garantiu ao cantor a exposição que ele precisava para integrar o seleto grupo dos cantores sertanejos que conseguem ter uma agenda com vinte apresentações mensais, acordos com grandes escritórios e gravadoras e cachês que superam R$ 100 mil.

Mas o trabalho principal de um músico nesse segmento não é chegar lá. É se manter. E é nesse momento que muitas carreiras se desviam e caem no ostracismo. Cristiano soube superar o desafio com um repertório que equilibrava baladas românticas e músicas mais animadas.

Essa consagrada fórmula ajudou a mantê-lo em evidência tanto nas rádios, que preferem o sertanejo romântico na programação, como nas boates e casas de shows, onde as músicas de balada sobre bebedeira e pegação compõem a trilha sonora do jovem público frequentador.

Em quatro anos de atuação, ele nunca deixou de ter pelo menos uma música entre as mais tocadas do ano. Além de Efeitos, emplacou Hoje eu To Terrível, Maus Bocados, É Com Ela Que Estou e Caso Indefinido. Mesmo após a morte, as músicas continuaram tocando e a quantidade de visualizações do cantor no perfil de YouTube não para de crescer.

Fonte: POP R7

24 de Junho de 2017 às 12:02

Câmara aprova fim de multa para quem esquecer carteira de habilitação e licenciamento

Atualmente, quem dirige sem os documentos pode ser multado e ter seu veículo retido





A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania) da Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (22), em caráter conclusivo, o Projeto de Lei 8022/14, que impede a aplicação de multa e a retenção do veículo se o motorista não estiver com a carteira de habitação e o licenciamento anual, caso o agente de trânsito possa obter as informações contidas nos documentos por meio de consulta a banco de dados oficial.

De autoria da ex-deputada Sandra Rosado e da deputada Keiko Ota (PSB-SP), o projeto altera o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97). A matéria agora segue para o Senado, a não ser que haja recurso para análise pelo Plenário da Câmara.

Pela regra atual, quem dirigir sem portar o licenciamento e a carteira de motorista poderá ser multado e ter seu veículo retido até a apresentação dos documentos. A infração é considerada leve.

Prazo

Segundo a proposta, quando não for possível realizar a consulta online das informações do veículo ou do condutor, o auto de infração será cancelado caso o condutor apresente, em até 30 dias, o documento ao órgão de trânsito responsável pela autuação. Assim, o motorista não terá pontos computados em sua carteira, referentes à infração.

A comissão acompanhou o voto do relator, deputado João Campos (PRB-GO), pela constitucionalidade e juridicidade do texto. O colegiado também aprovou emenda da Comissão de Viação e Transportes para exigir a apresentação, pelo condutor, de algum documento de identificação oficial, a fim de ser beneficiado pela medida.


Fonte: R7, com Agência Câmara