# Notícias Gerais

6 de Maio de 2017 às 09:06

Evangelho do Dia

A quem iremos? Tu tens palavras de vida eterna.

"Isto é muito duro! Quem o pode admitir?”. Sabendo Jesus que os discípulos murmuravam por isso, perguntou-lhes: "Isso vos escandaliza? Que será, quando virdes subir o Filho do Homem para onde ele estava antes?... O espírito é que vivifica, a carne de nada serve. As palavras que vos tenho dito são espírito e vida. Mas há alguns entre vós que não creem...”. [...] "Por isso, vos disse: Ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lho for concedido”. Desde então, muitos dos seus discípulos se retiraram e já não andavam com ele. Então, Jesus perguntou aos Doze: "Quereis vós também retirar-vos?”. Respondeu-lhe Simão Pedro: "Senhor, a quem iríamos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. [...]”.

Evangelho de hoje: Jo 6,60-69

5 de Maio de 2017 às 13:32

Minas registra mais um caso que pode ter relação com o jogo Baleia Azul

Adolescente de 17 anos, moradora de Teófilo Otoni, pulou de um muro e foi socorrida.



(Imagem Ilustrativa)

Minas Gerais investiga mais um caso de vítimas do “jogo” Baleia Azul, que consiste em incentivar jovens a tirarem a própria vida. Desta vez, uma adolescente de 17 anos, moradora de Teófilo Otoni, na Região do Vale do Mucuri, pulou de um muro e foi socorrida para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. O pai da garota informou que ela já tinha feito cortes nos braços com uma faca. No hospital, a menina confessou que participava do game macabro, segundo a Polícia Militar (PM).

O caso aconteceu no fim da manhã dessa quinta-feira. A menina foi até o fundo da casa dela e subiu em um muro de aproximadamente seis metros de altura. Em seguida, pulou. A ação foi flagrada por familiares da jovem, que acionaram o Corpo de Bombeiros. Ela foi socorrida com ferimentos e encaminhada para a UPA da cidade. O em.com.br tentou verificar o estado de saúde da vítima, mas os dados não foram repassados.

Segundo a PM, o pai da jovem afirmou que ela já tinha se ferido nos braços com uma faca, anteriormente. Antes dela pular do muro, o homem contou que tentou conversar com a filha, mas ela correu e saltou do paredão. No hospital, a vítima contou aos policiais que teve acesso ao jogo Baleia Azul e que foi “determinado cumprir a tarefa de cortar-se, e, posteriormente atentar contra a própria vida”, como consta no boletim de ocorrência.

Criado na Rússia, o jogo Baleia Azul estaria relacionado a 130 mortes de jovens naquele país. O “game” consiste na realização de 50 desafios de dificuldades crescentes, ordenados por um “mediador”, que trazem risco de vida e induzem à automutilação e culminam com o autoextermínio. A Polícia Civil de Minas já investiga quatro casos de pessoas que se mutilaram ou se mataram, supostamente por causa do jogo macabro. Desses, duas mortes foram constatadas.

O primeiro registro foi de um jovem de 19 anos que se matou em Pará de Minas, na Região Centro-Oeste do estado. Em Leopoldina, na Zona da Mata, é investigada a participação de um jovem de 18 anos no jogo. A mãe do garoto procurou a polícia em 13 de abril, informando que o filho estava participando do jogo e que tinha cortes no braço, reproduzindo a imagem de uma baleia. Os traços teriam sido feitos com a ajuda de uma colega de sala do filho, que o teria incentivado a entrar no game. Relembre: Baleia Azul espalha desespero entre famílias de Minas; PF alerta sobre prevenção 

Em Belo Horizonte, um adolescente de 16 anos foi encontrado morto no Bairro Ribeiro de Abreu, na Região Nordeste de Belo Horizonte. Apesar de a princípio a Polícia Civil não relacionar o caso ao “game”, familiares da vítima suspeitam que haja relação. Em Manhuaçu, na Zona da Mata, uma adolescente de 13 anos foi encontrada desmaiada dentro de casa, depois de ingerir cartelas de um medicamento para tratamento de epilepsia e outra para dores musculares. A vítima deixou o hospital na quarta-feira.

Recomendações do Ministério Público

O Ministério Público cobra do estado mais informações sobre o uso seguro da internet. O MP emitiu recomendação à Secretaria de Estado de Educação (SEE) para que as instituições de ensino orientem pais e alunos, de forma a evitar que criminosos se aproveitem da vulnerabilidade, especialmente de crianças e adolescentes. Veja abaixo algumas medidas que podem ser tomadas pelos pais e responsáveis. 

» Fique atento a eventuais mudanças de comportamento do jovem
» Demonstre interesse pela rotina dele
» Adolescentes com a autoestima em baixa são mais vulneráveis
» Dialogue e atraia a confiança de seu filho
» Evite que ele fique muito tempo na internet
» Deixe o computador em um local comum e visível da casa
» Evite expor na internet informações particulares e dados pessoais
» Denuncie grupos e comunidades suspeitas ao #MPMG: [email protected]

Fonte: Estado de Minas

5 de Maio de 2017 às 13:34

Meninas relatam rotina de assédio e ataques sexuais em agência de modelos no Sul de Minas

Meninas atraídas por promessas de se tornarem modelos e atrizes relatam, ainda, pressão psicológica e até restrição alimentar em casarão de Alfenas


Alfenas – Os longos cabelos claros, batendo na cintura, o porte elegante – 1,82 metro de altura, sem salto – e a beleza do rosto fazem da jovem do interior paranaense, que já foi miss na terra natal, uma candidata natural a modelo. No entanto, o desejo de desfilar pelas passarelas do planeta e ser famosa foi atropelado “pela lábia”, como ela define, de um homem acusado de agenciar pré-adolescentes e adolescentes de vários estados brasileiros com promessas de “modelar” – como reza a gíria do meio fashion – ou trabalhar em novelas da televisão. As denúncias investigadas contra o agenciador Fábio Fernandes dos Santos incluem estupro, assédio e abuso sexual, pressão psicológica, exploração financeira e até restrição alimentar a que seriam submetidas as jovens.

Depois dos contatos iniciais, via redes sociais ou nas próprias cidades em que viviam, as meninas pegavam o ônibus e a estrada, muitas vezes na companhia de pais, parentes ou namorados, e seguiam para Alfenas, no Sul de Minas, onde funcionaria a Agência Black Model. Sozinhas, começavam seus “dias de terror”, à espera de um contrato de trabalho que nunca chegava. Nesse período, contam, arrumavam a casa – na verdade um casarão no Bairro Jardim Alvorada, distante três quilômetros do Centro da cidade –, comiam “arroz, feijão e, às vezes, salada”, e sofriam com as investidas sexuais do agenciador. Por dentro do assunto: Dono de agência de modelos é suspeito de abusar sexualmente de garotas no Sul de Minas 

Com a pouca experiência dos seus 17 anos, a jovem paranaense chegou a Alfenas há dois meses, depois de contatada em uma rede social por Fábio Fernandes dos Santos, de presumíveis 33 anos, que está sendo procurado pela polícia local. Conforme denúncia do Conselho Tutelar de Alfenas, ele é acusado de assédio sexual contra várias jovens, na faixa de 12 a 17 anos, além de pressioná-las emocionalmente e obrigá-las a fazer sexo sem consentimento. As denúncias incluem o estupro de uma menina de 13 anos, de acordo com relato de uma das jovens, além do episódio em que teria colocado uma das adolescentes “de castigo”, retirando o chip de seu celular e reconfigurando o aparelho para que não pudesse entrar em contato com parentes.
SEM PRESERVATIVO 

Em nenhum dos casos, conforme relato das jovens, o homem, que segundo as meninas é natural de Alfenas, teria usado preservativos. “Ele dizia que, se não fosse carinhosa com ele, as coisas ficariam mais difíceis e que eu não conseguiria um contrato para ser modelo”, continua a paranaense, que não desiste do seu sonho e apenas lamenta ter “caído na lábia daquele homem”.

Na tarde de ontem, na companhia de mais três jovens – duas irmãs do interior de Goiás, de 15 e 16 anos, e uma de São Paulo, de 17, também do interior,  a moça contou um pouco dessa história de horror, na sede do Conselho Tutelar. Até o dia 10, elas deverão retornar às suas cidades, disse o presidente da instituição, Paulo Silvério, lembrando que três meninas já voltaram para casa – duas delas mineiras, também da Região Sul, e outra de Goiás.

O presidente do conselho conta que a primeira denúncia anônima foi feita em 17 de fevereiro. De imediato, diz ter comunicado à delegada de polícia Renata Fernanda Resende. Para atestar, ele mostra o encaminhamento com o timbre do conselho. O documento, em referência a denúncias sobre o casarão em que viviam as jovens e o acusado, informa que lá “... funciona uma agência de modelos, que é um entra e sai de adolescentes (...) o denunciante suspeita de drogas”.

“Enviei o ofício, mas não tive resposta. A Polícia Civil não fez nada”, reclama. Na segunda denúncia, que ele acredita ter vindo de uma das meninas que ficavam na casa da Agência Black Model, ele comunicou ao promotor de Justiça de plantão. “No último sábado, fomos lá e encontramos sete jovens, mas muitas outras passaram por lá”, acrescenta o conselheiro.

A delegada Renata afirma que foi aberto inquérito de imediato e garante que o caso está sendo investigado. “Temos que olhar esta situação com muito cuidado. Cada caso é um caso. Conversamos com as meninas e verificamos várias situações, como jovens emancipadas pelos pais, outras que chegaram acompanhadas também dos pais e outras que relataram ter praticado ato sexual porque quiseram. Mas é importante destacar que, independentemente das situações, sexo com menor de 14 anos é crime”, disse a policial.

Pais pagavam R$ 500 para manter jovens

Entre as jovens que afirmam não ter feito sexo com o suspeito estão duas meninas de Goiás. Elas frequentavam uma escola na cidade e essa é uma das indagações do Conselho Tutelar: como duas menores conseguiram se matricular, vindo de longe e sem a presença dos pais. Com óculos de grau – “sete e meio de astigmatismo e hipermetropia” –, a jovem goiana chegou a Alfenas acompanhada do namorado e, no período em que passou na cidade, terminou o relacionamento. Ela conta que o suspeito cobrava R$ 500 das famílias (de algumas, como da paranaense, cobraria R$ 600) para que as jovens ficassem no casarão, que tem piscina, quatro quartos, um deles “com espelho no teto”.

“O costume de Fábio era vir de manhãzinha na nossa cama e ficar alisando a gente. Depois insistia cada vez mais. Como eu fiquei com raiva e xinguei, ele me chamou de boca suja, disse que eu jamais seria atriz e me pôs de castigo, sem poder falar com meus pais”, diz a irmã da jovem de óculos. O curioso, em todos os relatos, é que as meninas mantinham contato com as famílias, mas não revelavam o drama que estavam passando no casarão de muros altos, de forma a manter vivo o sonho da carreira artística ou das passarelas.

“Participei de um concurso na minha cidade e o Fábio foi jurado. Foi lá que ele fez o convite”, conta a jovem de óculos, que concorria ao título de miss. “Ele falou que eu poderia fazer novela, mas que eu precisava ser carinhosa”, contou. “Além dos gastos mensais, a família ainda tinha que mandar dinheiro para vivermos”, acrescentou.

A jovem paulista também caiu na conversa de Fábio, conforme diz, e guardou uma foto dele no arquivo do seu celular. Com 1,72m de altura, reconhece ter acreditado no suposto agente de modelos. “Não o vi batendo em ninguém, mas havia grande pressão emocional. Comigo, ele não conseguiu nada.”

MEDO 

Na tarde de quinta-feira, a reportagem do Estado de Minas conversou com o proprietário do imóvel alugado pelo suspeito, um advogado que não quer se identificar. Ele disse que está colaborando com as investigações e que entregou o contrato de locação à polícia. “Se soubesse que estava acontecendo isso, jamais teria alugado o casarão. Se ele for culpado, que pague pelo que cometeu”, afirmou. O proprietário não informou se o locatário estava devendo aluguel, como suspeita o presidente do Conselho Tutelar.

No Bairro Jardim Alvorada, onde fica o casarão, vizinhos dizem que nunca perceberam nada de errado. “Só tinha muito carro aí na porta, de vez em quando”, diz uma moradora. Dona de uma banca de jornais no Centro de Alfenas, Domingas de Souza se mostra horrorizada. “E isso tudo perto da minha casa. A gente não imagina isso numa cidade universitária”, resumiu. A amiga Hilda Maria Flores também está preocupada, pois tem duas filhas. “A gente fica com medo”, comentou.

O EM tentou contato com o acusado em alguns números de telefone, mas não obteve sucesso. Ele também não foi encontrado no casarão do Jardim Alvorada.

Entrevista

Adolescente paranaense de 17 anos agenciada por Fábio Fernandes dos Santos

‘Ele dizia que, se eu fosse carinhosa com ele, as portas se abririam para mim’

Por que você continuou na casa, mesmo diante dessa situação que as meninas enfrentavam?
Porque não desisto do meu sonho. Ele dizia que, se eu fosse carinhosa com ele, as portas se abririam para minha carreira.

Você fez sexo com ele?
Ele foi ao meu quarto duas vezes. E aconteceu. Não usou preservativo.

E agora? Quais são seus planos
Passou. Vou continuar tentando.

Fonte: Estado de Minas
 

5 de Maio de 2017 às 13:38

VÍDEO - Gol de goleiro contra Uberaba revolta narrador que faz desabafo ao vivo

Soltou os cachorros" ao vivo, indignado com a derrota de 2 a 0 para o Nacional de Muriaé, em casa, finalizada com um gol de goleiro.

Uma das vozes mais conhecidas do rádio esportivo do interior Mineiro, o narrador Moura Miranda, da Rádio Sete Colinas, de Uberaba, fez um desabafo no último jogo do Uberaba Sport Club no Hexagonal Final do Módulo II do Campeonato Mineiro. Miranda "soltou os cachorros" ao vivo, indignado com a derrota de 2 a 0 para o Nacional de Muriaé, em casa, finalizada com um gol de goleiro.

O Boi Zebú, atualmente na vice-lanterna da última fase do Módulo II, sofreu um gol do goleiro Paulo Victor, do Nacional de Muriaé, aos 52 minutos do segundo tempo, quando o arqueiro impediu um ataque "tudo ou nada" do Uberaba e, na reposição de bola, conseguiu acertar o outro arco. 

Entretanto, o narrador acabou escutando o próprio discurso e admite que exagerou na dose, mesmo mantendo a postura crítica em relação ao time colorado. O vídeo da narração (veja abaixo), juntamente com o lance do gol de goleiro, já "viralizou" nas redes sociais.

"Foi um desabafo na hora, com um certo exagero, mas acontece. Me sinto até um pouco mal, por ter exagerado. Mas o Uberaba é um clube de tradição.  A a gente fica sempre na expectativa de subir, mas não acontece. O time não correspondeu ao que esperávamos; não deu liga e não passou motivação alguma", disse Miranda, ao Hoje em Dia.

Confira o que disse Moura Miranda no jogo e veja a narração abaixo:
"É para acabar! É para provar que este time é ridículo. É um time ridículo. Um time que tomou gol a 10 minutos do primeiro tempo. Que jogou mais de 45 minutos com um jogador a mais. Toma um gol de goleiro, aos 53 minutos. 53! É para desmoralizar. É para encerrar a carreira de treinador. Para encerrar a carreira deste bando de 'cabeças de bagre'. Está engasgado na minha garganta. Desde o primeiro jogo lá em Patrocínio que eu tenho vontade de dizer que este time é ruim demais, esse time é ridículo. É um dos piores times da história do Uberaba Sport Clube. E realmente, para desmoralizar de vez, para acabar, 'para acabar com os pequis de Goiás'. Gol de goleiro! Gol de goleiro! Goleiro pegou a bola e deu um chutão, o Kaiky (goleiro do Uberaba, mas na verdade foi um zagueiro) furou de cabeça. Acaba, vergonha! Acaba as esperanças! Acaba, vergonha. Agora só resta ao Uberaba a chance de ser lanterna deste grupo, que é o que o lugar que ele merece neste campeonato da Segunda Divisão"

Fonte: Hoje em Dia - Vídeo divulgação redes sociais

 

5 de Maio de 2017 às 09:43

ARAXÁ - Condutor de 25 anos foge da PM e causa acidente grave, tendo a passageiro sofrido parada respiratória

Socorrida pelos Bombeiros a passageira com suspeita de hemorragia interna passou por cirurgia

Rua Honório de Paiva Abreu, bairro Jardim Bela Vista onde aconteceu o fato

ARAXÁ (MG) - No dia 04 de maio de 2017, por volta das 19 horas, a Polícia Militar durante patrulhamento pela Rua Honório de Paiva Abreu, bairro Jardim Bela Vista, deparou com a motocicleta Dafra/Speed-150, com placa OME-8859, estando a motocicleta com tarjeta de emplacamento da cidade de Belo Horizonte/MG, com dois ocupantes em atitude suspeita, e ao ser dado ordem de parada para o condutor, ele não acatou, e de forma brusca, efetuou uma manobra de retorno, imprimiu alta velocidade, evadindo da viatura. Ao tentar atravessar um terreno baldio com mato alto, a motocicleta se chocou contra um pedaço de tronco de árvore, momento em que o condutor foi arremessado do veículo e a passageira atingiu o peito e a barriga contra o tronco de árvore.

O condutor aparentemente não apresentava lesões graves. Já a passageira teve parada respiratória, sendo ambos conduzidos até o Pronto Atendimento Municipal por uma Unidade de Resgate do Corpo de Bombeiros.

O condutor da motocicleta alegou que evadiu em virtude de não possuir carteira nacional de habilitação.

Foi acionado o auto socorro credenciado pelo Detran, sendo a motocicleta removida até o pátio credenciado.

Já no pronto atendimento municipal o condutor foi atendido e sendo diagnosticado escoriações em mão direita, edema e escoriações em joelho/escapula lado direito, tendo ele sido medicado e liberado, para que em data posterior procurar um especialista em trauma de joelho.

A passageira foi conduzida para o centro cirúrgico, para ser submetida a cirurgia, pois estava com suspeita de hemorragia interna.

O condutor da motocicleta C.R.R., de 25 anos, preso em flagrante delito por direção perigosa e lesão corporal,  foi informado de seus direitos constitucionais.

5 de Maio de 2017 às 08:18

'Vilões do curto-circuito', benjamins e extensões estão em mais da metade das casas brasileiras

Ligar muitos aparelhos em uma mesma tomada pode ser extremamente perigoso

Você precisa usar diversos equipamentos elétricos ao mesmo tempo, mas não tem tomadas suficientes. Qual é a primeira solução que vem à mente?

O uso de extensões, réguas, Ts ou benjamins está presente em 57% das casas brasileiras, segundo pesquisa Procobre (Instituto Brasileiro do Cobre). Em imóveis com mais de 20 anos, esse patamar sobe para 61,2%.

O motivo é o mesmo: metade dos entrevistados diz que gostaria de ter mais tomadas dentro de casa.

Entretanto, a facilidade proporcionada pelos benjamins representa um risco, se o equipamento não for usado da maneira correta.

"Trata-se de um dispositivo derivador técnico provisório. O problema desses dispositivos não são eles, é como se usa. Uma tomada tem um limite para ser usada", diz Edson Martinho, diretor-executivo da Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade).

Normalmente, uma tomada aguenta, segundo Martinho, cerca de 1.100 watts. Ou seja, juntos os equipamentos ligados por meio de um benjamin ou extensão não podem ultrapassar esse valor.

Por exemplo: se uma cafeteira elétrica ligada que consome 600 watts for ligada juntamente com um ferro de passar roupa (1.000 watts), o risco de haver um curto-circuito é alto, uma vez que a tomada não está preparada.

É claro que fica difícil calcular a todo tempo quanto cada eletrodoméstico consome. Mas vale o bom senso. Aqui vão alguns equipamentos que mais consomem energia na casa: micro-ondas, geladeira, grill, churrasqueira ou forno elétricos, chuveiro elétrico, máquina de lavar louça/roupa, cortador de grama, torneira elétrica, torradeira, aquecedor de ambiente ou de água.

Portanto, quando em uso, esses eletrodomésticos devem estar, preferencialmente, em uma tomada somente para eles.

Outro ponto que as pessoas precisam se atentar, de acordo com Martinho, é o tamanho dos plugues. Muitas vezes, determinado equipamento não entra em uma tomada e usamos adaptadores para que eles se encaixem.

Porém, se eles não entram, é porque aquela tomada não suporta o equipamento. Isso normalmente ocorre com secadores de cabelo, ferros de passar e outros aparelhos que esquentam.

Proteção

A pesquisa do Procobre mostrou que apenas 21% dos imóveis brasileiros possuem DR (dispositivo diferencial residual). Esse aparelhinho desliga o disjuntor quando há algum vazamento de energia, como normalmente acontece no caso do choque elétrico. Com isso, evita que alguma pessoa ou animal seja eletrocutado.

Outro item importante e que pode evitar prejuízo é o DPS (dispositivo de proteção contra surto), presente em apenas 12% das casas. Esse dispositivo evita a queima de eletrodoméstico e eletroeletrônicos em caso de problemas na rede elétrica, inclusive no caso de raios.

Já o fio terra está presente em 52% das casas, sendo que nos apartamentos sobe para 90%. 

Fonte: R7 com Fernando Mellis

5 de Maio de 2017 às 08:11

Janot diz que pode investigar Temer após mandato

Procurador-geral diz que presidente não deve ser alvo enquanto estiver no poder

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, reafirmou ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF (Supremo Tribunal Federal), que Michel Temer não deve ser investigado, enquanto presidente da República, por crimes ocorridos antes da vigência do mandato. Ele, porém, salientou que, após Temer deixar o cargo, existe a possibilidade de "início da atividade de persecução penal do Estado em relação a ele".

"O presidente da República, desde a posse no cargo, tem imunidade processual temporária em relação aos crimes ocorridos antes da vigência do mandato", afirmou Janot, em manifestação na qual respondeu a pedido feito pelo PSOL a Fachin para que seja revista a decisão de arquivar as citações que delatores fizeram em relação a Temer.

"Destaca-se que, cessado o mandato do presidente da República, certamente serão adotadas as providências que se mostrem pertinentes, com nova análise do caso, a fim de que se verifique a adequação ou não e a necessidade ou não do início da atividade de persecução penal do Estado em relação a ele", disse.

Ele ainda discordou da avaliação de que a decisão do STF de não investigar Temer seria uma forma de excluir a responsabilidade dele.

— Não se há de interpretar o dispositivo em análise como cláusula de exclusão de responsabilidade do presidente, pois ele responderá por tais fatos perante a jurisdição competente ao término do mandato.

O PSOL afirmou que a imunidade "não alcança a fase pré-processual" e que o arquivamento "causa inequívoco prejuízo ao direito de toda a população brasileira" de "ver devidamente apurada a existência de infração penal".

Atendendo a pedido da PGR, Fachin autorizou a investigação contra o senador Humberto Costa (PT-PE).

Nos autos do inquérito contra Costa, o ex-presidente da Odebrecht Engenharia Industrial Márcio Faria da Silva detalha encontro no escritório político de Temer, em 2010, em que afirma ter sido acertado pagamento de propina de US$ 40 milhões ao PMDB.

O presidente já afirmou, em nota, que "jamais tratou de valores" com Márcio Faria. Temer contestou ainda de "forma categórica" envolvimento de seu nome em negócios escusos. "(O presidente) Nunca atuou em defesa de interesses particulares na Petrobrás nem defendeu pagamento de valores indevidos a terceiros", diz a nota.

Fonte: Estadão Conteúdo

5 de Maio de 2017 às 13:25

Corpo de homem com sinais de violência é achado em córrego no Lagoinha

Este é o homicídio 43 de Uberlândia neste ano.


O corpo de um homem foi encontrado na manhã desta quinta-feira, 4, dentro de um córrego do Bairro Lagoinha, no final da Rua Pedro Formoso, entre os Bairros Vigilato Pereira e Jardim Karaíba, em Uberlândia. Agentes do Centro de Controle de Zoonoses é que avistaram o cadáver nesta manhã, por volta de 11h, e acionaram a Polícia Militar (PM).

Não havia documentos, portanto não foi possível a identificação. Ele foi encaminhado diretamente ao Cemitério Campo do Bom Pastor, onde passará por necrópsia no Serviço de Verificação de Óbito (SVO).

A perícia identificou algumas perfurações no corpo, feitas com objeto perfuro-cortante.

A vítima é um homem negro, de aproximadamente 1,70 metro, idade aparente entre 25 e 35 anos, e usava apenas uma bermuda. Nas costas da vítima havia três tatuagens, uma de índia, outra de palhaço e a terceira de homem aranha. Elas podem ajudar a identificar o corpo.

Não foi possível precisar o tempo que o corpo estava no local. Ele estava parcialmente submerso com inicial estado de decomposição. A ocorrência foi registrada como homicídio consumado.

Fonte: V9 Vitoriosa Com informações de Léo Soares

5 de Maio de 2017 às 07:57

Senador Magno Malta conclama vereadores de Uberlândia a votarem contra a identidade de gênero

O projeto foi aprovado em votação simbólica, sem a contagem de votos, na última quarta-feira, 3

O senador Magno Malta (PR-ES) já anunciou publicamente que vai apresentar recurso contra o projeto de lei que altera o Código Civil para reconhecer a união estável entre pessoas do mesmo sexo e possibilitar a conversão dessa união em casamento. O projeto foi aprovado em votação simbólica, sem a contagem de votos, na última quarta-feira, 3, pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. “Nós vamos requerer que seja levado ao plenário do Senado para que o conjunto dos cidadãos decida”, disse Malta, que defende a constituição da família nos moldes tradicionais, formada por um homem e uma mulher.

Magno Malta voltou a se pronunciar pelas redes sociais, agora dirigindo-se diretamente ao povo de Uberlândia, mais especificamente aos vereadores, que estão prestes a votar, durante a quarta reunião ordinária do mês de maio, nesta sexta-feira, 05, o Projeto de Lei Ordinária – 80/2017, que Dispõe sobre a inclusão e uso do nome social de pessoas travestis e transexuais nos registros municipais relativos a serviços públicos prestados no âmbito da Administração Municipal Direta e Indireta. O projeto é de autoria da vereadora Pâmela Volp, que usa o nome social há 32 anos, desde os 16.

Veja o discurso na íntegra:

Eu quero dizer para o povo de Uberlândia e região, muito especificamente aos vereadores que estão sendo pressionados com essa história de LGBT, cada um defende aquilo que acredita. Mas nós aqui no Congresso Nacional, começando no senado, depois na Câmara, não permitimos, e foi tirado do plano nacional de educação, essa história de identidade de gênero, porque é macho e fêmea, não tem cromossomo homossexual. Ninguém nasce um vegetal pra definir seu sexo depois. O que eles fizeram? Correram para as Assembleias Legislativas, em que a maioria absoluta no Brasil fechou as portas. Correram pras câmaras, pros planos municipais. A maioria fechou as portas e alguns, desavisadamente votaram. Vocês não têm obrigação de votar isso. Quem quer ensinar homossexualismo pra seus filhos na infância, que funde uma escola e leve a uma escola que você fundou e acredite. Os meus filhos e os seus filhos não têm que ter sua sexualidade aflorada [na escola]. Isso é responsabilidade sua, de pai e mãe de família, não de professor, escola, nem de material homossexual pras nossas crianças. Isso é uma tentativa de desmoralizar e detonar definitivamente o valor de família. Por isso é que eu conclamo a vocês que são vereadores: não entrem nessa conversa. Se o sujeito quer usar um outro nome, um nome social como eles dizem, que use, mas pra que uma lei como essa? O cara quer ser homossexual, ele fez uma opção, seja homossexual. Deus deu o livre arbítrio ao homem.

A regra da boa convivência é o respeito. Nós temos que respeitar a decisão e a opção deles. E eles precisam também nos respeitar e respeitar uma família que é majoritariamente cristã, como é esse país.

Eu conclamo a vocês vereadores famílias de Uberlândia, não entrem nessa conversa fiada, porque família é a primeira instituição que Deus criou. E criou macho e fêmea.

Fonte: V9 Vitoriosa