# Notícias Gerais

4 de Fevereiro de 2017 às 13:33

Homem drogado e armado de facão ameaça vizinhos e fere militares com disparo

O fato aconteceu no bairro Novo Santo Antônio em Araxá (MG)

ARAXÁ (MG) - A Polícia Militar foi solicitada e compareceu na Rua Luiz Dumont Fonseca, bairro Novo Santo Antônio,  onde  a vítima  de 32 anos  nos relatou que o autor J.G.J. de 52 anos havia feito uso de entorpecentes, estando bastante exaltado  e agressivo e de posse de um facão ameaçava os moradores.

Segundo a Polícia Militar, quando a gurnição chegou, não foi possível diálogo, sendo necessário utilização da pistola de emissão de pulsos elétricos (taser), para desarmar e imobilizar o autor. 

Após algemado o autor estava sendo conduzido para o compartimento de cofre da viatura, vindo a se soltar da algema e conseguiu pegar a arma no coldre de um dos policiais, ocorrendo um disparo o qual alvejou um policial na panturrilha, superficialmente. A munição transfixou a panturrilha atingindo o coturno do segundo militar causando-lhe um hematoma no pé.

O autor foi dominado novamente, retirado a arma de sua mão e colocado no compartimento de cofre e conduzido preso para Delegacia de Polícia Civil. 

Os dois policiais militares envolvidos na ocorrência foram medicados e liberados em seguida, sem maiores lesões.

Segundo nota da PM será aberto um procedimento interno para verificação das causas do disparo da arma de fogo.

3 de Fevereiro de 2017 às 10:38

Bebê morre na barriga da mãe por falta de oxigênio na placenta, em Uberlândia

Segundo a mãe a sua filha morreu por causa de negligência médica.

Um bebê morreu na barriga da mãe na manhã da última quarta-feira, 1º de fevereiro, em Uberlândia. A família acusa a rede pública de saúde do município por não realizar o parto da adolescente, de 16 anos. De acordo com o pai da criança João Marcos, a esposa estava com 40 semanas e estava indo há vários dias na Unidade de Atendimento Integrado (UAI) Martins.

Marcos afirmou que a esposa foi até a UAI Martins na noite desta terça-feira, 31, e realizou exames. No ultrassom constou que estava tudo bem com o bebê, e a grávida foi liberada para voltar para casa. Na manhã de quarta-feira, 1, foi agendado um novo ultrassom e, neste novo exame, constou que a criança estava morta.

” A minha filha morreu por negligência médica, ela estava pronta para nascer e por negligência ela morreu”, afirma. Após o ocorrido, a adolescente foi encaminhada para o Hospital de Clínicas da UFU para retirada do bebê.

A família chamou a equipe de reportagem da TV Vitoriosa, na noite desta quarta-feira, para reclamar que o hospital estava demorando para realizar a cesária. O pai da adolescente disse que a filha estava sozinha e aguardando a cirurgia. ” A minha neta só vai ser retirada da barriga da minha filha, quando todas as cesarianas que os bebês que estão vivos forem feitas”, afirma.

De acordo com informações apuradas pelo site V9 Vitoriosa, a cesária foi realizada no fim da noite de quarta-feira. A família enviou a certidão de óbito relatando a causa da morte do bebê. No laudo médico foi constatado que a criança morreu por falta de oxigênio. O sepultamento ocorreu na tarde de ontem quinta-feira, 2, em Uberlândia.

Em nota a Secretaria Municipal de Saúde informou que está apurando o caso da paciente, juntamente a coordenação da Unidade de Atendimento Integrado (UAI) Martins.

Fonte: UIPI

3 de Fevereiro de 2017 às 09:09

Evangelho do Dia

É João Batista a quem mandei cortar a cabeça, que ressuscitou.

O próprio Herodes mandara prender João e acorrentá-lo no cárcere, por causa de Herodíades, mulher de seu irmão Filipe [...]. João tinha dito a Herodes: "Não te é permitido ter a mulher de teu irmão”. Por isso, Herodíades o odiava e queria matá-lo [...]. Chegou, porém, um dia favorável [...]. A filha de Herodíades apresentou-se e pôs-se a dançar, com grande satisfação diante de Herodes e dos seus convivas. Disse o rei à moça: "Pede-me o que quiseres, e eu to darei”. [...] "Quero que sem demora me dês a cabeça de João Batista”. O rei entristeceu-se; todavia, por causa da sua promessa e dos convivas, não quis recusar. Sem tardar, enviou um carrasco com a ordem de trazer a cabeça de João. [...]

 

Evangelho de hoje: Mc 6,14-29

2 de Fevereiro de 2017 às 15:12

Rodrigo Maia é reeleito presidente da Câmara dos Deputados

Democrata foi eleito em primeiro turno com 293 votos


O deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ) foi reeleito nesta quinta-feira (2) presidente da Câmara com 293 votos em primeiro turno. Outros cinco candidatos disputavam a vaga, Jovair Arantes (PTB-GO), relator do impeachment de Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados, os candidatos da oposição Luiz Erundina (Psol-SP) e André Figueiredo (PDT-CE), Julio Delgado (PSB-MG) e Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

Com a vitória de Maia, o governo Temer mantém o controle do Congresso por dois anos, com aliados eleitos tanto no Senado, com Eunício Oliveira (PMDB-CE), quanto na Câmara. Apesar de não declarar oficialmente, o Palácio do Planalto apoiava a reeleição de Maia. O deputado carioca mantém a posição de primeiro na linha sucessória da Presidência, já que o País não tem vice desde o impeachment da presidente Dilma Rousseff. 

Apoiado por 14 partidos, Maia foi considerado durante a sua gestão como um presidente equilibrado e com boa interlocução com o Planalto e com os partidos. 

Sua vitória é estratégica para o governo Temer já que o presidente da Câmara é o 'dono da pauta' da casa. É o presidente que define o que será votado, escolhe os membros de comissões, reúne os líderes para discutir as prioridades, entre outras atribuições.

Em seu discurso antes da votação, Maia defendeu a independência da Câmara dos Deputados e criticou os seus colegas que tem levado decisões internas ao Judiciário. O próprio Maia foi alvo da judicialização da candidatura. Apenas ontem o STF deu o aval a sua reeleição. Em janeiro, sua candidatura foi suspensa por um juiz de primeira instância, decisão derrubada dois dias depois pelo Tribunal Regional Federal. 

— Quase todas as nossas decisões são levadas ao Judiciário. É por isso que dessa vez até um juiz de primeira instância se alvorou a se intrometer no nosso trabalho. Estamos falando sobre a independência e a força dessa casa. Podemos acreditar que um juiz de primeira instãncia poderia suspender o mandato de cada um de nós.

Maia defendeu ainda medidas para acelerar a economia, em um sinal claro que irá acelerar as discussões prioritárias ao Planalto - reformas da Previdência e Trabalhista. Falou ainda da importância da discussão do pacto federativo e da reforma do regimento interno. 

— Precisamos de um regimento que favoreça o debate, para que quem está em casa não ache que isso aqui é um picadeiro. 

A reeleição de Rodrigo Maia foi questionada judicialmente porque o regimento interno veda a reeleição no meio da legislatura. O caso de Maia, no entanto, foi considerado legal já que ele teve um mandato-tampão após a renúncia de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em julho do ano passado. Na ocosião ele foi eleito por seus pares com 258 votos em segundo turno realizado conta o deputado Rogério Rosso (PSD-DF), que ficou com 170 votos.

Além do status de presidente da Câmara, Maia será responsável pelo controle do Orçamento de R$ 5,2 bilhões da Casa e de 3.200 funcionários aproximadamente.

Fonte: R7

2 de Fevereiro de 2017 às 13:46

Edson Fachin é o novo relator da Lava-Jato por sorteio do STF

O ministro foi transferido para a turma de Teori para poder participar da escolha da relatoria do inquérito


O ministro Edson Fachin é o novo relator da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal. O sorteio realizado na manhã desta quinta-feira distribuiu para ele o Inquérito 4112, principal da operação, e junto com ele, irão os demais processos que compõe a investigação. 

O sorteio foi realizado eletronicamente. Fachin foi transferido para a segunda turma do STF, conforme publicação nesta quinta-feira no Diário Oficial, o que permitiu a ele participar da escolha. 

Inicialmente, a definição feita pelo mesmo sistema usado para distribuição dos processos entre os ministros, ocorreria nesta quarta-feira, mas, o processo teve de ser adiado justamente para permitir a tranferência de Fachin para a segunda turma. 

A presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, optou por sortear o inquérito da Lava-Jato entre os integrantes da segunda turma,  grupo do qual fazia parte o ministro Teori Zavascki, antigo relator, que morreu em um desastre aéreo. Além de Fachin, participaram  Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Celso de Mello e Ricardo Lewandowski. 

Nos bastidores, Fachin era o nome preferido pelo Ministério Público.

Quebra de sigilo

Como novo relator, Fachin ficará com a responsabilidade sobre decisões como o fim do sigilo das delações premiadas. A ministra Cármen Lúcia homologou as colaborações dos 77 delatores da Odebrecht no último dia de plantão judiciário, mas manteve o segredo dos processo. Isso porque não houve pedido oficial do Ministério Público no documento que pediu urgência nas homologações. 
 

Caberá ainda ao novo relator decidir sobre outras medidas judiciais, como pedidos de prisão e diligências. Fachin também terá o poder de acatar ou não o recebimento de novos pedidos de investigação contra políticos que devem ser feitos pela Procuradoria-Geral da República com base nas delações dos ex-executivos da Odebrecth.

Nome de consenso


No Tribunal, Fachin era um dos mais próximos a Teori Zavascki e não escondeu emoção no enterro do colega. Ele fazia parte da 1ª Turma do STF, mas pediu para migrar para o outro colegiado após a morte de Teori Zavascki.

O ministro é hoje considerado um nome de consenso internamente para herdar a Lava-Jato, pois é tido como um magistrado discreto.

Antes de Fachin ser indicado ao Supremo, no entanto, os ministros da Corte fizeram uma articulação interna para evitar que o último ministro nomeado por Dilma Rousseff assumisse uma cadeira na Turma da Lava-Jato. Há menos de dois anos, em março de 2015, Dias Toffoli migrou da 1ª para a 2ª Turma para que o novo indicado à Corte não ficasse com o ônus de julgar a Lava-Jato. O indicado foi Fachin. Agora, o gesto de Fachin foi visto como uma gentileza ao futuro indicado à Corte.

O nome de Fachin foi cotado para o STF já na época do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas só foi consolidado na última indicação de Dilma. Em meio a turbulências políticas no governo da petista, Fachin enfrentou dura resistência no Senado e uma longa sabatina. Era considerado um nome ligado a movimentos sociais. Ao chegar ao Tribunal, no entanto, decepcionou advogados de Dilma Rousseff ao proferir um voto considerado muito rigoroso na sessão que definiu o rito do julgamento do impeachment da então presidente. (Com Agência Estado)

3 de Fevereiro de 2017 às 11:04

Sete bandidos são mortos em troca de tiros com policiais no Norte de Minas

Criminosos foram surpreendidos por policiais civis quando chegaram na cidade de Mato Verde para explodir caixas eletrônicos

Sete homens foram mortos em uma troca de tiros com a Polícia Civil ao tentarem assaltar uma agência do Banco do Brasil com o uso de explosivos, em Mato Verde, no Norte de Minas, na madrugada desta quinta-feira. O  bando, que portava forte armamento, era  formado por oito bandidos e foi surpreendido pelos policiais ao chegar em frente a agência bancária.

Conforme o delegado Renato Nunes Henriques, chefe do 11º departamento da Polícia Civil de Montes Claros,  que comandou a operação, a quadrilha é de São Paulo e responsável por ataques recentes a agências bancárias em outras cidades do Norte de Minas, como Monte Azul e São João do Paraíso. O bando vinha sendo monitorado pela Polícia Civil, que descobriu a intenção dos bandidos em realizar um novo ataque ao Banco do Brasil de Mato Verde e preparou uma ação surpresa.
Como estratégia, os policiais ocuparam quartos em um hotel que fica em frente à agência bancária, onde ficaram posicionados atiradores de elite. A polícia também ocupou uma escola que fica na mesma rua do banco. A ação envolveu cerca de 40 homens da Polícia Civil.

De acordo com o delegado Renato Nunes Henriques, às 3h, os bandidos chegaram em frente à agência bancária em uma caminhonete, cinco na cabine e três na carroceria do veículo. Eles estavam fortemente armados com fuzis, metralhadoras, carabinas e pistolas.

Renato Nunes disse que foi dada voz de prisão aos bandidos, que reagiram imediatamente com disparos em direção aos policiais, sendo iniciada a troca de tiros.  “Mas, como éramos em vantagem numérica e adotamos o fator surpresa, alcançamos um bom resultado na ação”, afirma o delegado.

Os policiais se posicionaram nas janelas do hotel e do prédio da escola e se protegeram atrás das paredes. Assim, nenhum  deles ficou ferido. Os oito bandidos foram alvejados e sete deles morreram. O único que sobreviveu foi um homem  identificado como Wellington Goulart de Aguiar, que seria o líder da quadrilha. Ele levou três tiros nas pernas e em um bos braços. Foi socorrido e está em hospital da região, sob escolta policial.
O delegado Renato Nunes informou que o bando desarticulado em Mato Verde não se limitava a explosão de caixas eletrônicos. Eles também entravavam nos prédios dos bancos  e explodiam os caixas-fortes das agências. Com a ação de hoje, Nunes espera que esse tipo de ataque não se repita na região. O Norte é uma das partes do estado que mais sofre com ataques a bancos.  Saiba mais: Explosões de caixas eletrônicos voltam a subir depois de dois anos.

Fonte: Estado de Minas e fotos: Polícia Civil

2 de Fevereiro de 2017 às 20:13

Médicos constatam morte cerebral e família autoriza doação de órgãos de Dona Marisa Letícia

Mulher do ex-presidente, porém, ela ainda respira por aparelhos

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva publicou em seu perfil oficial no Facebook nesta quinta-feira (2) a autorização para a doação dos órgãos da ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva, internada no Hospital Sírio-Libanês.

"A família Lula da Silva agradece todas as manifestações de carinho e solidariedade recebidas nesses últimos 10 dias pela recuperação da ex-primeira-dama Dona Marisa Letícia Lula da Silva. A família autorizou os procedimentos preparativos para a doação dos órgãos".


Fonte: R7

2 de Fevereiro de 2017 às 09:37

Quadro de ex-primeira-dama Marisa Letícia se agrava e médicos falam em situação “irreversível”

Ela teria sofrido aumento da pressão cerebral. Mais cedo, boletim indicou situação estável

O quadro da ex-primeira-dama Maria Letícia Lula da Silva agravou-se na tarde desta quarta-feira (1º), afirmou uma fonte próxima à família. Segundo a equipe de médicos que atendem a mulher do ex-presidente Lula, o quadro dela é “irreversível”.

Marisa teria sofrido um aumento da pressão cerebral. Os médicos haviam retirado os sedativos na terça-feira (31), mas teriam voltado a utilizá-los nesta quarta. A ex-primeira-dama está em coma induzido.

Mais cedo, o hospital Sírio-Libanês, onde Marisa está internada em decorrência de um AVC emitiu boletim médico afirmando que ela permanecia internada na UTI “em condição clínica estável”.

“A paciente segue com monitorização neurológica intensiva, sem modificações no quadro clínico”, apontou o boletim, publicado às 14h40.

Do R7, com Estadão Conteúdo

2 de Fevereiro de 2017 às 11:22

Aécio comandou fraude na Cidade Administrativa quando era governador de MG, diz delator da Odebrecht

Ex-executivo da empreiteira apontou esquema de corrupção na sede do governo estadual


O ex-governador de Minas Gerais e atualmente senador da República Aécio Neves (PSDB) teria participado de um esquema de fraude na licitação para a construção da Cidade Administrativa — sede do governo estadual. O favorecimento de algumas empreiteiras na disputa teria rendido propina ao tucano.

Publicada pelo jornal Folha de S.Paulo desta quinta-feira (2), a informação foi dada pelo ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura Benedicto Júnior em sua delação premiada à Operação Lava Jato.

Júnior afirmou que se reuniu pessoalmente com Aécio Neves, quando tratou do esquema de corrupção. Na ocasião, o tucano teria orientado as construtoras a localizarem e negociarem diretamente com Oswaldo Borges da Costa Filho, conhecido como Oswaldinho.

Com ele, foi definido o percentual de propina que seria repassado pelas empresas no esquema. De acordo com o delator da Odebrecht, os valores ficavam entre 2,5% e 3% sobre o total dos contratos.

Em nota, Aécio Neves repudiou o relato do delator da Odebrecht e defendeu o fim do sigilo sobre as delações a fim de que "todo conteúdo seja de conhecimento público".

O delator da Odebrecht informou que o próprio Aécio Neves decidiu quais empresas partipariam da disputa para fazer a obra do governo mineiro.

Projetada pelo renomado arquiteto Oscar Niemeyer (1907-2012), a Cidade Administrativa foi inaugurada em 2010 e custou R$ 2,1 bilhões em valores da época.

A Odebrecht encabeçou o consórcio que construiu a Cidade Administrativa. A empreiteira foi responsável por 60% do projeto, dividido também com a OAS, Andrade Gutierrez e Queiroz Galvão — todas implicadas na Lava Jato. A Odebrecht construiu um dos três prédios da sede do governo mineiro, o chamado Edifício Gerais.

Oswaldinho, o suposto emissor de Aécio na negociação para a obra, é conhecido por colaborar com as campanhas eleitorais do tucano. Também já foi presidente da Codemig (Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais). Foi com ele que as empreiteiras acertaram a forma dos pagamentos, informou Benedicto Júnior.

O depoimento do ex-diretor da Odebrecht Sérgio Neves confirmou e complementou o que Benedicto Júnior falou para os procuradores da Lava Jato. Segundo as investigações, Neves seria o responsável por organizar os repasses a Oswaldinho. Neves é o principal delator da força-tarefa da Lava Jato para detalhar os pagamentos a Aécio.

Sérgio Neves e Benedicto Júnior são dois dos 77 funcionários e ex-funcionários da Odebrecht que fecharam acordo de delação premiada. Na segunda-feira (30), a presidente do Supremo, Cármen Lúcia, validou as informações dadas pelos executivos e funcionários da empreiteira e remeteu à PGR (Procuradoria-Geral da República), responsável por conduzir a investigação. O conteúdo, porém, foi mantido sob sigilo.

Aécio Neves defendeu, em nota, que o conteúdo das delações premiadas seja publicado na íntegra pelo Supremo para que "as pessoas mencionadas possam se defender, uma vez que é impossível responder a especulações, interpretações ou informações intencionalmente vazadas por fontes não identificadas".

O tucano chama a colaboração premiada de Benedicto Júnior de "suposta delação" e classificou "as afirmações são falsas e absurdas".

Sobre a obra da sede do governo mineiro, Aécio disse que "o edital de construção da Cidade Administrativa foi previamente apresentado ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas do Estado e as obras auditadas durante sua execução por empresa independente contratada via licitação pública, não tendo sida apontada qualquer irregularidade durante todo o processo".

Fonte: R7