# Natanael Diniz

A morte é o fim?

8 de Novembro de 2017 às 21:40

Nesse mês de novembro celebramos o dia de Finados. Tempo oportuno para refletirmos sobre a morte. Uma grande pergunta nos assola: Para onde vamos? Muitos se preocupam em dar uma resposta. Alguns dizem assim: “Nós só temos esta vida. Quando a gente morre, tudo se acaba. Não existe outra vida”. São os ateus que pensam assim. Aqueles que não têm fé. Se assim fosse, não valeria a pena ter nascido.

Os questionamentos que fazemos para o pós-morte demonstra que não estamos preparados para lhe dar nem com a dor, e muito menos com o fim terreno. Somos apegados ao material, esse mundo encanta-nos apesar de todas as dificuldades e desafios que enfrentamos em nossa existência.  Jesus nos ensina uma doutrina muito diferente desta. Ele nos ensina que o Pai nos criou por amor. Todos que nascem possuem uma missão. Ninguém está no mundo atoa. Todos possuem uma missão importante para cumprir. Todas as missões são importantes, desde as mais simples as mais complexas. O que vale é realizarmos bem, qualquer que seja  a nossa missão. Toda missão tem valor, muito mais realizada com amor. Por isso, precisamos encarar a vida com um dom de Deus, precisamos preservar e cultivar, mas precisamos estabelecer com a morte uma nova visão do que é essencial para viver em plenitude e ganhar a tão almejada vida eterna.

Aceitar que temos um fim na terra não é tarefa fácil, temos a sensação de que a vida terrena é para sempre, mas não, Deus nos propôs esta passagem, do material ao espiritual. Certa vez, Jesus contou aos apóstolos como será o fim do mundo. Disse que separará os bons dos maus como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. Essa separação demonstra que devemos fazer o bem aqui na Terra e contemplar toda a ação de Deus em nossas vidas. Nosso julgamento será de acordo a vida de caridade e fé que tivemos levado neste mundo. Portanto, não vamos perder tempo. A eternidade depende do agora de nossa vida. Não vamos deixar nossa conversão, isto é, nossa mudança de vida para amanhã. Poderá ser tarde demais e você terá vivido em vão. Todos nós morremos e ressuscitaremos com Jesus. A morte não é a separação para sempre. É por um breve tempo. No final, todos nós ressuscitaremos para a vida eterna.

Todas as aflições e dores nesse mundo terreno tem nossa parcela de responsabilidade, precisamos assumir nossas limitações e renovar nosso desejo de vida, e vida em plenitude, foi o que disse Jesus. Para aceitarmos bem a nossa própria morte, precisamos reconhecer que estamos aqui de passagem, e que nesse tempo temos a oportunidade de realizar obras a favor do nosso crescimento pessoal, profissional, e acima de tudo, fazer os outros felizes. Somos seres de comunhão!

Assim, compreendendo melhor nossa missão nesse mundo, podemos deslumbrar uma nova morada: a morada celeste, onde Deus nos ampara e acolhe. Contudo, percebemos que a morte não é o fim, é o começo de uma nova vida.