# Natanael Diniz

O gosto pelo estudo

11 de Agosto de 2019 às 18:33

Nesse mês de agosto celebramos o Dia do Estudante, que é comemorado no Brasil no dia 11 de Agosto. Em algum momento da vida fomos estudantes, porém pela lógica permanente do aprendizado nunca deixamos de aprender alguma coisa.

No entanto quero abordar nesse texto uma reflexão sobre a importância dos estudos na aquisição de novos saberes e de conquistas que fazem parte da história profissional de cada um.

No Brasil a taxa de analfabetismo tem caído, porém constatam-se o aumento significativo dos ditos “analfabetos funcionais” que muita das vezes sabem ler e escrever, mas não são capazes de interpretar um texto. Sendo assim, percebemos que há uma distância entre aquilo que se aprende e aquilo que fica como aprendizado duradouro. Ou seja, o aprendizado ficou a desejar.

Nas diversas etapas de ensino regular que são constantes as evidências da falta de entusiasmo dos alunos em concentrar-se na aula para que possa aprimorar seus estudos, há falta de disciplina e o descaso em sala de aula compromete a formação do cidadão e consequentemente atenta contra a construção de uma vida mais interessante e integrada. Não podemos desprezar o senso comum, a cultura popular, aprendemos muito com as pessoas que muita das vezes não teve uma formação acadêmica, mas mesmo assim detém uma sabedoria que vai além dos livros.

O gosto pelo estudo deve ser aprimorado e incentivado, com a aquisição de novos meios tecnológicos percebemos uma mudança de comportamento tanto nas crianças quanto nos adolescentes que são a sua maioria que freqüentam as escolas pelo país, mas nem por isso deixa de fazer uma “mea culpa” sobre nós adultos que também precisamos de um novo olhar sobre a prática de estudar. Quando pensamos em estudos só imaginamos os componentes curriculares que existem, mas não é só isso. Necessitamos de um novo olhar perante a vida, o gosto maior pelo conhecimento deve permear nossa caminhada.

A tarefa de estudar não é fácil mesmo, exige compromisso e horas de concentração e esforço.  Em tempos de ataque sistemático a educação convém lembrar que só por meio da prática educativa e da promoção dos estudos que teremos pessoas mais preparadas e dispostas a enfrentar os desafios dessa era pós moderna.

Contudo, tenhamos esse hábito para estudar sempre mais, afinal o conhecimento não tem fim.

Natanael Oliveira Diniz – Professor e atualmente Subsecretário de Educação