# Notícias Gerais

18 de Setembro de 2017 às 08:47

Evangelho do Dia

Observavam, para verem se Jesus curaria em dia de sábado.

Em outro dia de sábado, Jesus entrou na sinagoga e ensinava. Achava-se ali um homem que tinha a mão direita seca. Ora, os escribas e os fariseus observavam Jesus para ver se ele curaria no dia de sábado. [...] Mas Jesus conhecia os pensamentos deles e disse ao homem que tinha a mão seca: "Levanta-te e põe-te em pé, aqui no meio”. Ele se levantou e ficou em pé. Disse-lhes Jesus: "Pergunto-vos se no sábado é permitido fazer o bem ou o mal; salvar a vida, ou deixá-la perecer”. E, relanceando os olhos sobre todos, disse ao homem: "Estende tua mão”. Ele a estendeu, e foi-lhe restabelecida a mão. Mas eles encheram-se de furor e indagavam uns aos outros o que fariam a Jesus.

Evangelho de hoje: Lc 6,6-11

18 de Setembro de 2017 às 11:23

Transexual nua com tornozeleira eletrônica quebra carro e é presa em BH

A cena foi filmada por pessoas que estavam na rua lateral do Fórum Lafayette

 

Uma confusão nas imediações do Fórum Lafayette, em Belo Horizonte, na manhã deste domingo (17), assustou pessoas que passavam pelo Barro Preto e levou à prisão, em flagrante, uma transexual nua, usando apenas tornozeleira eletrônica. Enquadrada por dano, ela é acusada de jogar uma moto no chão e quebrar janela de um carro estacionado na Rua Ouro Preto.  

clique para saber mais
 

Segundo relatos, a transexual tirou a roupa e começou a fazer vários xingamentos na porta da sede da Justiça, em Belo Horizonte, onde ocorria uma audiência de custódia. A confusão assustou pessoas que passavam pela rua no Barro Preto.

Vários vídeos mostrando a cena circularam no Whatsapp. Em um deles, ela aparece tentando forçar a porta de grade do fórum. Na sequência, pega um objeto e quebra o vidro de um carro.

Transtornada, a transexual dizia querer ver um juiz. Ela chegou a falar na morte de integrantes de sua família. Chamados pelos vigilantes do local, três agentes de segurança prisional que faziam a segurança da audiência a imobilizaram, arrancando aplausos das pessoas que acompanhavam a cena. A Polícia Militar chegou na sequência, efetuando a prisão. 

De acordo com a coordenadora do policiamento da unidade Tenente Roberta dos Santos Gomes, a transexual informou apenas o nome de registro, Willian da Silva, 25 anos, que saiu recentemente da prisão por alguns crimes, incluindo o de roubo. 

A tenente informou que a polícia encontrou pinos de cocaína perto das roupas da transexual detida. “Ele estava bem agitado e uma equipe do Samu foi acionada devido a esse estado psicológico alterado, sob suspeita do uso de drogas. Fizeram um procedimento médico e ele foi conduzido ao Hospital João 23”, disse.

Assim que for liberada do hospital, a transexual será conduzida à Central de Flagrantes 2, por crime de dano.

18 de Setembro de 2017 às 11:39

Filho mata a mãe a facadas por causa de produtos de beleza

Mulher de 48 anos foi atingida por pelo menos 10 golpes. Segundo a polícia, ao ser preso, jovem disse que a mãe não permitiu que ele usasse seus produtos

 

Um jovem de 24 anos foi preso suspeito de matar a própria mãe, de 48, na madrugada deste domingo em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce. Segundo a polícia, o crime ocorreu por um motivo fútil: uma briga por conta de produtos de beleza. A vítima foi assassinada com pelo menos 10 facadas. 

A mulher e o filho moravam no Bairro JK III e o crime ocorreu por volta das 3h. De acordo com a Polícia Militar (PM), vizinhos ouviram os pedidos de socorro de Jucineide Lopes de Souza e, logo em seguida, viram Felipe Lopes de Souza Mifarreg fugir da casa. Ao entrar no imóvel, eles encontraram a mulher caída no chão, ensanguentada.

A PM e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram chamados. A equipe médica ainda tentou reanimar Jucineide, mas ela morreu no local. Ela foi atingida por duas facadas no rosto, uma em um dos braços e sete nas costas. 

Felipe acabou detido nas proximidades do imóvel. Consta no boletim de ocorrência que ele tentou tomar o carro de um casal. O proprietário do veículo disse à polícia que ele atirou uma pedra no carro, exigiu que os dois desembarcassem, e atirou uma segunda pedra no parabrisa dianteiro. Felipe teria chegado a entrar no veículo, mas fugiu da vítima, que reagiu com um pedaço de pau. 

Ainda segundo a polícia, uma pessoa da família de Lucineide disse que, após atacar a mãe, Felipe foi até a casa dele e danificou os vidros de portas e janelas. Ao ser preso, o jovem disse à polícia que agrediu a mãe porque ela não permitiu que ele usasse seus produtos de beleza de determinada marca. Após ser atendido no Hospital Municipal de Governador Valadares, ele foi encaminhado a uma delegacia da região. 

A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou, na noite deste domingo, que Felipe foi preso em flagrante e que o delegado Mateus Oliveira Andrade já pediu à Justiça a conversão para prisão preventiva, conforme os termos da lei. Ainda segundo a Polícia Civil, o delegado também solicitou a verificação da sanidade mental de Felipe. Assim, ele poderá ficar preso ou ser internado caso o laudo comprove insanidade.

Fonte: Estado de Minas

18 de Setembro de 2017 às 08:33

Vídeo: Alto comando estuda intervenção militar, diz general do exército

Declaração foi dada durante palestra após nova denúncia contra Temer

O general do Exército da ativa Antonio Hamilton Martins Mourão afirma que o alto comando das Forças Armadas estuda a possibilidade de intervenção militar diante da crise enfrentada pelo País, caso a situação não seja resolvida pelas próprias instituições. A afirmação foi feita em palestra realizada na noite de sexta-feira (15) em Brasília, após o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciar pela segunda vez o presidente Michel Temer por participação em organização criminosa e obstrução de justiça. (Veja o vídeo abaixo)

Janot deixa o cargo nesta segunda-feira (18).

A atitude do general causou desconforto em Brasília. Oficiais-generais ouvidos pelo jornal "O Estado de S. Paulo" criticaram a afirmação de Mourão, considerada desnecessária neste momento de crise.

"Ou as instituições solucionam o problema político, pela ação do Judiciário, retirando da vida pública esses elementos envolvidos em todos os ilícitos, ou então nós teremos que impor isso", disse Mourão em palestra gravada, justificando que "desde o começo da crise o nosso comandante definiu um tripé para a atuação do Exército: legalidade, legitimidade e que o Exército não seja um fator de instabilidade".

O general Mourão seguiu afirmando que "os Poderes terão que buscar uma solução, se não conseguirem, chegará a hora em que teremos que impor uma solução… e essa imposição não será fácil, ela trará problemas". Por fim, acrescentou lembrando o juramento que os militares fizeram de "compromisso com a Pátria, independente de sermos aplaudidos ou não". E encerrou: "O que interessa é termos a consciência tranquila de que fizemos o melhor e que buscamos, de qualquer maneira, atingir esse objetivo. Então, se tiver que haver haverá".

Procurado neste domingo, Mourão explicou, no entanto, que não estava "insuflando nada" ou "pregando intervenção militar" e que a interpretação das suas palavras "é livre". Ele afirmou que falava em seu nome, não no do Exército.

Ao jornal, o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas foi enfático e disse que "não há qualquer possibilidade" de intervenção militar. "Desde 1985 não somos responsáveis por turbulência na vida nacional e assim vai prosseguir. Além disso, o emprego nosso será sempre por iniciativa de um dos Poderes", afirmou Villas Bôas, acrescentando que a Força defende "a manutenção da democracia, a preservação da Constituição, além da proteção das instituições".

Depois de salientar que "internamente já foi conversado e o problema está superado", o comandante do Exército insistiu que qualquer emprego de Forças Armadas será por iniciativa de um dos Poderes. No sábado, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, conversou com o comandante do Exército, que telefonou para o general Mourão para saber o que havia ocorrido. O general, então explicou o contexto das declarações.

Polêmicas anteriores

Esta não é a primeira polêmica protagonizada pelo general Mourão atual secretário de economia e finanças do Exército, cargo para o qual foi transferido, em outubro de 2015, quando perdeu o Comando Militar do Sul, por ter feito duras críticas à classe política e ao governo.

Antes, ele já havia desagradado ao Palácio do Planalto, ao ter atacado indiretamente a então presidente Dilma Rousseff ao ser questionado sobre o impeachment dela e responder que "a mera substituição da PR( presidente da República) não trará mudança significativa no 'status quo'" e que "a vantagem da mudança seria o descarte da incompetência, má gestão e corrupção".

Neste domingo, ao ser procurado pelo jornal, o general Mourão disse que "não está insuflando nada" e que "não defendeu (a tomada de poder pelos militares), apenas respondeu a uma pergunta". Para o general, "se ninguém se acertar, terá de haver algum tipo de intervenção, para colocar ordem na casa". Sobre quem faria a intervenção, se ela seria militar, ele responde que "não existe fórmula de bolo" para isso. E emendou: "Não (não é intervenção militar). Isso não é uma revolução. Não é uma tomada de poder. Não existe nada disso. É simplesmente alguém que coloque as coisas em ordem, e diga: atenção, minha gente vamos nos acertar aqui e deixar as coisas de forma que o País consiga andar e não como estamos. Foi isso que disse, mas as pessoas interpretam as coisas cada uma de sua forma. Os grupos que pedem intervenção é que estão fazendo essa onda em torno desse assunto".

Mourão estava fardado ao fazer a palestra. Ele permanece no serviço ativo no Exército até março do ano que vem, quando passará para a reserva. O general Mourão disse ao jornal que não vai se candidatar, apesar de existir página nas redes sociais sugerindo seu nome para presidente da República. "Não. Não sou político. Sou soldado."


General Antonio Hamilton Martins Mourão sugere... por thevideos11

Fonte: Estadão

18 de Setembro de 2017 às 09:09

Jornalista Marcelo Rezende morre aos 65 anos em SP

Apresentador do Cidade Alerta lutava contra um câncer desde abril

Rezende morreu neste sábado (16), aos 65 anos, na zona sul de São Paulo. Um dos maiores nomes do jornalismo brasileiro, o apresentador da Record TV lutava contra um câncer no pâncreas e no fígado desde o final de abril. A informação foi confirmada pelo Hospital Moriah, onde estava internado desde terça-feira (12).

Ainda não foram divulgadas informações sobre velório e enterro.

Com a coragem que o acompanhou ao longo da vida, o jornalista anunciou em rede nacional que estava com a doença. Durante uma entrevista ao Domingo Espetacular no início de maio, horas antes de ser internado pela primeira vez, Rezende disse que encararia a doença de frente. O câncer agressivo o obrigou a deixar repentinamente o comando do Cidade Alerta, jornalístico que apresentava desde 2012. Foi nessa última etapa da carreira que Marcelo Rezende se reinventou como apresentador.

Entre denúncias e notícias sobre violência urbana, Marcelo Rezende encontrou espaço para o bom humor. Transformou os repórteres em personagens, deu apelidos à equipe técnica, colocou o comentarista Percival de Souza sentado num trono. Criou bordões que ganharam as ruas e já entraram para a história da TV brasileira. Um deles, o “corta pra mim”, virou título de sua autobiografia (Editora Planeta, 2013). Um breve resumo de uma vida rica de histórias.

Marcelo Rezende nasceu no Rio de Janeiro, em 12 de novembro de 1951, fruto de um casal de baixa renda. Filho de um bancário e uma funcionária da aeronáutica, decidiu, aos 16 anos, se mudar para a Bahia e viver em uma comunidade hippie.

Um ano mais tarde, ingressou no jornalismo por acaso, durante uma visita à redação do Jornal dos Sports, no Rio de Janeiro. Rezende tinha apenas 17 anos e foi convidado para trabalhar como repórter na cobertura de futebol. Foram o talento e as amizades que conquistou lá que o levaram para a Rádio Globo e, na sequência, O Globo. No jornal carioca, onde trabalhou por sete anos, teve a chance de ficar próximo do ídolo, Nelson Rodrigues.

Antes de chegar à televisão, o jornalista ainda passou pela revista Placar. Só então, em 1987, foi contratado como repórter esportivo pela TV Globo. Com pouco tempo na emissora carioca, migrou para o jornalismo investigativo – área que marcou a sua carreira profissional. Participou de coberturas importantes e saiu na frente em várias delas. Um exemplo é a investigação sobre a fuga de PC Farias, tesoureiro da campanha de Fernando Collor, em 1993. Mas a matéria de maior repercussão na carreira do apresentador foi um caso de violência policial na Favela Naval, em Diadema, na grande São Paulo. A denúncia feita por Rezende em 31 de março de 1997 no Jornal Nacionalcausou indignação no País, rodou o mundo e colocou os direitos humanos na pauta da sociedade. Pelo trabalho, Rezende recebeu os prêmios APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) e o Líbero Badaró.

No ano seguinte, o jornalista voltou a ser premiado no Líbero Badaró por uma denúncia de vendas de armas, também exibida no Jornal Nacional. Ele já havia conquistado, em 1994, o diploma de honra ao mérito do Festival de Filme e Televisão de Nova York pela reportagem Trabalho do Menor, exibida no Globo Repórter.

A estreia como apresentador foi no Linha Direta, em 27 de março de 1999. O jornalista participou ativamente do projeto que colocou o programa policial que reconstituía crimes praticados por foragidos da justiça de volta à grade da Globo – a primeira versão, feita em 1990, durou só quatro meses no ar. De acordo com a emissora carioca, Rezende dizia que “a proposta do Linha Direta era, desde o princípio, condenar a impunidade e retratar os casos policiais com o máximo de verossimilhança”. Isso era possível pois, além de contar histórias, a atração incentivava os telespectadores a denunciar o paradeiro dos criminosos ou fornecer pistas que ajudassem na solução dos casos. O jornalista trabalhou sete meses montando uma equipe de 50 profissionais para colocar o programa no ar.

Rezende deixou a Globo e, em 2002, foi para a Rede TV!, onde assumiu a apresentação do telejornal policial Repórter Cidadão.

Em 2004, foi contratado pela Record TV, como apresentador da primeira versão do Cidade Alerta. Ficou até 2006, quando foi contratado novamente pela Rede TV! para ancorar o RedeTV!News, principal jornalístico da casa. Deixou a emissora em 2008. Dois anos depois, estreava na Band no comando do Tribunal na TV – atração nos mesmos moldes do Linha Direta.

Ainda em 2010, Rezende voltou para a Record TV, como repórter especial do Domingo Espetacular. No ano seguinte, virou apresentador do Repórter Record. Mas, em 2012, Marcelo Rezende reassumiu o comando do Cidade Alerta e, com uma dose de irreverência, mudou o jeito de fazer programa policial na televisão brasileira. A inovação deu certo e fez história. Em setembro de 2015, o vespertino venceu por pelo menos três vezes o Jornal Nacional, fato até então inédito na televisão. Quando não ficava na frente, por várias vezes o Cidade Alerta empatava no período de confronto direto entre os dois noticiários. Um marco histórico, já que, desde a estreia, em 1969, o Jornal Nacional sempre teve a liderança isolada de audiência.

O sucesso foi interrompido pela descoberta do câncer agressivo, em exame realizado em 28 de abril. Mesmo após o diagnóstico, Marcelo Rezende apresentou três edições do programa e fez questão de não abandonar a legião de fãs. Durante o período em que esteve fora do ar, usou as redes sociais para se manter em contato com o público. Em todas as mensagens, passou demonstrações de confiança e fé.

Marcelo Rezende deixa cinco filhos e uma neta.

Fonte: R7

16 de Setembro de 2017 às 11:04

Traficante é preso com drogas e "carrão" em Monte Carmelo

Também foram presos outros envolvidos na casa no Bairro Jardim Américo

MONTE CARMELO/MG - No dia 15/09, por volta de 20h31min, durante patrulhamento pelo Bairro Jardim Américo,  na Rua D, a viatura policial deparou com o autor R.A.M. de 27 anos, saindo da casa de número 182, e quando este viu os  militares, tentou fugir, porém foi abordado, e ao ser indagado, o suspeito disse que estava na casa de sua namorada.  

Foi feito contato na residência e ao ser acionada a campainha, vários suspeitos saíram correndo do interior da residência, tentando fugir pelos fundos do imóvel. A residência foi cercada, e com o apoio dos militares do GEPMOR, foi verificado seu interior, sendo encontrados os autores J.B.A.S. de 35 anos e P.C.B.S. de 21 anos além de duas menores infratoras de 16 e 17 anos. 

Durante buscas pela residência, os militares encontraram sob um guarda-roupa, um CPF em nome do primeiro autor, dois tabletes de substância semelhante à maconha, que depois de fracionados, renderiam aproximadamente cinquenta porções de tamanho comercial, e um rolo de fita plástica utilizada para embalar drogas.  Na residência foram localizados diversos objetos de origem duvidosa, sendo que o autor R.A.M. não soube explicar a procedência deles, como um aparelho estetoscópio, semelhante a um que havia sido roubado em data pretérita. 

No interior da residência havia uma motocicleta HONDA 125, de cor azul, sem a placa de identificação. Em frente a casa, se encontrava o veículo TOYOTA  HILUX, de cor prata, placa  HDB-0345, de propriedade  do autor  J.B.A.S., sendo que durante buscas em seu interior foi localizado um Revólver calibre.32, marca ROSSI, com 07 munições intactas. 

Com o autor J.B., foi encontrada ainda a quantia de R$824,00 em dinheiro, e R$ 7.696,00 em folhas de cheque. O veiculo modelo TOYOTA HILUX, placas HDB-0345 e a motocicleta HONDA 125, de cor azul, foram removidos ao pátio credenciado. 

16 de Setembro de 2017 às 09:48

Evangelho do Dia

Por que me chamais: 'Senhor! Senhor!', mas não fazeis o que eu digo?

"O homem bom tira coisas boas do bom tesouro do seu coração, e o homem mau tira coisas más do seu mau tesouro, porque a boca fala daquilo de que o coração está cheio. [...] Todo aquele que vem a mim ouve as minhas palavras e as pratica, eu vos mostrarei a quem é semelhante. É semelhante ao homem que, edificando uma casa, cavou bem fundo e pôs os alicerces sobre a rocha. As águas transbordaram, precipitaram-se as torrentes contra aquela casa e não a puderam abalar, porque ela estava bem construída. Mas aquele que as ouve e não as observa é semelhante ao homem que construiu a sua casa sobre a terra movediça, sem alicerces. A torrente investiu contra ela, e ela logo ruiu [...]”.

Evangelho de hoje: Lc 6,43-49

16 de Setembro de 2017 às 10:28

Nota de Falecimento: Sr. Geraldo Ferreira Meire aos 65 anos em Catiara

Informa Funerária São Pedro e Príncipe da Paz

 

Faleceu dia 16/09, em Catiara -  MG, o Sr.º Geraldo Ferreira Meire com 65 anos.

Deixa a esposa: Clemência Batista Figueiredo Meire

Deixa os filhos:  Aparecida, Ricardo, Osvaldo e Cludinei, deixa: genro, nora, netos e demais parentes e amigos.

Está sendo velado no Velório Municipal de Catiara  e será seputado 16/09 (Sábado), às 13 horas, no Cemitério Municipal de Catiara.

Site: www.grupofsp.com.br

16 de Setembro de 2017 às 10:30

Nota de Falecimento: Sra Baltazar Jose da Silva (Baltazar Porteira) aos 80 anos em Guimarânia

Informa Funerária São Pedro e Príncipe da Paz

 

Faleceu dia 16/09, em Guimarânia -  MG, o Sr.  Baltazar José da Silva (Baltazar Porteira) com 80 anos.

Deixa os filhos: Maria Aparecida, Luiz Antônio, Maria de Lurdes e Lucas Reis, deixa os genros: Celso Lima e Marcos, deixa as noras: Marcela e Fernanda

Deixa os Netos: Rafael, João Paulo, Mateus, Isadora e Pedro, e demais parentes e amigos.

Está sendo velado no Velório do Braga em Guimarânia e será seputado 16/09 (Sábado), às 15 horas, no Cemitério Municipal de Guimarânia.

Site: www.grupofsp.com.br