13 de Junho de 2022 às 17:53

Bom Senso e Tutaméias (Por Milton Magalhães)

-

ALMA PATROCINENSE

 

Pode ser uma imagem de ao ar livre e texto que diz "NESTA CASA EU ECEBO DE CORAÇÃO FAMILIARES ENTISE AMIGOS VINDO"

Longe de ser um João do Rio, mas também gosto de flanar pela cidade, andando mais com os olhos e a mente do que com os pés.

Minha alma hoje (e sempre) quer um bocado de simplicidade... Quem não conhece a música do Pato Fu, vou por ela:

"Vai diminuindo a cidade

Vai aumentando a simpatia

Quanto menor a casinha

Mais sincero o bom dia"

Andei pelo bairro Jardim Sul I,II,III e adjacências... Um lindo jogo de cena se faz. Os garotos que passam em direção à escola não se dão pela minha presença; olho com toda reverência um trabalhador que passa em sua bicicleta; arredo de um cachorrinho dormindo na calçada; saudo a mãe levando o filhinho num carrinho de bebê; olho com ternura para a filha levando a mãe debilitada (talvez com Alzheimer) para pegar sol; recuso com gentileza ao ambulante que me oferece meias, cuecas e edredons. Não é um bairro paupérrimo, há casas de bom porte e belas arquiteturas.

Bons veículos no trânsito, enfim, um bairro aconchegante e simples.

Mas aí não tem jeito. Me dou com esta escrita em um muro: " NESTA CASA EU RECEBO DE CORAÇÃO FAMILIARES, PARENTES E AMIGOS SEJA BEM VINDO"

A concertina sobre o muro, claro, infere-se, que gatunos e larápios não são bem-vindos naquele lar...

Pensei poxa, encontrei uma síntese da 'natureza', da identidade, da quintessência da alma do patrocinense.

Patrocínio etimologicamente, significa, amparo, auxílio, proteção, arrimo e abrigo... Ou seja, é próprio do patrocinense receber bem as pessoas. A gentileza está em nossa cultura. Veio pra somar, aqui é o seu lugar.

Não estou dizendo que há preconceito, tratamento diferenciado e coisa e tal, mas, sabe-se que, popularmente, quem não nasceu em Uberlândia e mora lá, é uberlandino; quem não nasceu em Patos de Minas e mora por lá, é patureba. Em Patrocínio, nasceu aqui ou não, todos são patrocinenses.

Sem falar nos bandeirantes e garimpeiros do passado e, ainda no êxodo da cafeicultura, quantos delegados, gerentes de bancos, agrônomos, engenheiros, médicos, apanhadores de café, profissionais de todas as áreas, vieram a Patrocínio, a princípio, somente a trabalho. Foram "recebidos de coração". Ficaram. Permaneceram. Ficaram. São Patrocinenses.

Ampara, auxilia, protege, arrima e abriga. Não há em Minas cidade tão acolhedora e aconchegante, quanto " nosso doce colo de Minas".

Parafraseando a alma gentil do Jardim Sul, poderia até fazer um pórtico na entrada da cidade: "Nesta cidade recebemos de coração..."

IMPRESSIONANTE: ESTE BURACO VEM DESAFIANDO O MUNICÍPIO, O ESTADO E A UNIÃO.

Pode ser uma imagem de estrada

Já com ocorrência de acidentes com vítimas, este buraco na BR 365, há 2 Km de Patrocínio, sentido Patos de Minas, desafia autoridades do poder executivo, legislativo e judiciário, do Município, do Estado e da União.

Com exceção do vereador Presidente da Câmara, Valtinho e Vereador, Ricardo Balila, que se revezam in loco, 'clamando no deserto', mobilizando, mostrando o absurdo da negligência, mas quem resolve, não decide.

Sim. A rodovia em tela está detonada em toda sua extensão, mas esta imponente cratera dai, fez vários aniversários. Ela desafia a competência de prefeito, vereadores, deputados estaduais, federais, DNIT, DEER.

Sabe-se que, constitucionalmente, por ser rodovia federal, a obra é de responsabilidade da União, mas diante das reiteradas e flagrantes omissões; fuga de responsabilidade; entraves burocráticos, o Município precisa por a mão na massa. Tomar uma medida emergente e mandar a conta pra quem de direito.

Pagamos imposto pra isto?

Vamos ver. Talvez tenhamos que arregimentar uns caras bom de trampo e jogar uma camada de britas no local.

A ação pode dar dor de cabeça, processo, multa, cadeia...

Mas SALVA VIDAS, É O QUE IMPORTA ...

Ou...Que vergonha!

UAI, E NOSSA ESPERTEZA?

O povo mineiro sempre foi retratado como esperto, desconfiado, agora caindo no conto da carochinha? Dizem que o estelionato se consolida como principal crime em Minas Gerais. Prática migrou para o digital e ganhou ainda mais força, superando até mesmo os roubos praticados no Estado.

ESTE PAÍS TEM UM CASO DE AMOR COM A CORRUÇÃO

 Lula é considerado “o político mais honesto”, mostrou uma recente pesquisa. Minha tese vai se confirmando: ESTE PAÍS TEM UM CASO DE AMOR COM A CORRUÇÃO. “Não custa lembrar: Lula foi condenado por corrupção e lavagem em 3 instâncias: JF, TRF, STJ. A condenação foi anulada pelo STF, mas ele não foi absolvido. Alckmin foi acusado por corrupção, caixa dois e lavagem envolvendo mais de R$ 11 milhões pagos pela Odebrecht”. (Deltan Dallagnol) 

  MUNICÍPIO E ESTADO, DOIS BICUDOS

Dois de 22 anos de funcionamento, desde 22 de Janeiro de 22, o Centro de Apoio ao Adolescente de Patrocínio – CIAAP encerrou suas atividades em Patrocínio. Motivo? Senta ai pra não cair:  O imóvel onde funcionava a entidade, pertencia ao Município e a entidade era do Estado. Ruído de comunicação. O governo estadual viu dificuldades para renovação do convênio ou a contratação de outra entidade para a prestação do serviço. Os políticos do município disseram: Amém.

 À época, o governo do estado teria um prazo de 10 dias, para solucionar o problema. Prazo este há muito expirado. Uma decisão judicial impôs uma multa de diária de R$ 500.000,00 mil reais. Entidade do estado; terreno do município. Dois bicudos que não se beijam. Não falam a mesma língua. A birrinha é deles; o prejuízo é do povo. Hoje, silêncio sepulcral. Mas assim que a entidade baixou as portas, o promotor da Infância e Juventude da Comarca de Patrocínio, Fábio Alves Bonfim, falou aos microfones do Sistema Difusora, revelando que alguns adolescentes foram liberados, outros, entraram em regime de semi-liberdade e os demais adolescentes foram transferidos para outros centros de internação de cidades como, Tupaciguara, Uberaba, Patos de Minas, Unaí e Frutal. Como se pode notar, municípios longe de Patrocínio. Adolescentes, sem a mínima condição de serem acompanhados por familiares e assistidos pelos programas da entidade.

A unidade, contava ainda com cerca de 90 colaboradores, pois além de centro de internação, tinha internamente  uma unidade escolar. Ponha na conta de nossos políticos.

OUTRO ATESTADO DE INCOMPETÊNCIA

Quer outro exemplo de que estado e município, não falam a mesma língua e quem perde é nosso povo: Patrocínio, está há quase 04 meses sem um Delegado Titular Regional. Depois de 04 anos de bons serviços, o Delegado especial Dr. Valter André Biscaro Salviano, foi nomeado em Fevereiro deste, pelo Governador Romeu Zema e pelo Chefe Geral da Polícia Civil de Minas Gerais, como o novo chefe e delegado regional da 2ª DRPC lá na terra do governador. Ficamos chupando o dedo. Patrocínio já contou em sua jurisdição regional, com 08,07... Delegados... hoje, apenas, 02.  Há que se registrar que em seu trabalho interino, ambos, tem se desdobrado, para manter a paz e a ordem. E vem conseguindo.  Não precisa dizer que é um trabalho regional estafante. Tem cabimento? Não dá para eximir a culpa. É, sem dúvida, mais um atestado de incompetência de nossos políticos, mas tem outro agravante. O qual devo dizer aqui em letras grandes, para ecoar em seu gabinete:  “ZEMA, ZEMA, ZEMA, se candidatar, você é disparado, o meu candidato preferido e até querido, MAS O QUE VOCE TEM CONTRA A NOSSA PATROCÍNIO? O QUE? ”    

POSTURA

Críticas sobre o nosso trabalho? Adoto o seguinte critério, (que você também poder fazer o mesmo): Vejo bem quem fala, o que fala, como fala, por que fala, de onde fala e ...se pode mesmo falar. Há críticas que constroem, amadurecem, edificam, jogam pra cima. Estas, absorva, considere, abrace, implore por elas. Há críticas, no entanto, que são rasteiras, frutos de arrogância, arrebentam, destroem, detonam. Não absorva, não considere; delete, bloqueia.

google.com, pub-1942554816919385, DIRECT, f08c47fec0942fa0