# Notícias Gerais

8 de Junho de 2021 às 11:40

Covid-19: Saúde distribui 2,3 milhões de doses da vacina da Pfizer

Seis estados brasileiros e o DF recebem doses ainda nesta segunda

Continue lendo após anúncio
 

Fonte: Agência Brasil Edição: Claudia Felczak foto: Reuters/Carlos Osorio/Direitos Reservados

O Ministério da Saúde começou na segunda-feira 7/06 a distribuir um novo lote de 2,3 milhões de doses da vacina da Pfizer contra a covid-19 a estados e municípios. Ainda hoje, São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Amazonas e o Distrito Federal receberão suas parcelas na divisão.

Já os demais estados devem receber suas remessas até a próxima quarta-feira (9). As vacinas são destinadas para a imunização dos públicos prioritários que estão recebendo as aplicações segundo o plano de operacionalização: pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente e trabalhadores do ensino básico.

O Ministério da Saúde acrescentou que estados e municípios também poderão direcionar as doses para outros segmentos, como trabalhadores de aeroportos e portos, parte das forças de segurança e salvamento e Forças Armadas.

De acordo com o planejamento do Ministério da Saúde, deverão ser entregues no mês de junho mais de 12 milhões de doses da vacina da Pfizer. Para o período de julho a setembro, estão previstas mais 84,4 milhões de doses.

O Ministério distribuiu até o momento 102,9 milhões de doses. Deste total, foram aplicadas 71,6 milhões de doses, sendo 48,8 milhões da 1ª dose e 22,8 milhões da 2ª dose. Considerando a população, foram imunizados completamente (1ª e 2ª doses) até o momento pouco mais de 10% da população.

 

8 de Junho de 2021 às 11:29

PF cumpre mandados de prisão contra hackers suspeitos de atacar STF

São cumpridos 6 mandados de busca e apreensão e 3 de prisão temporária

Continue lendo após anúncio
 

Fonte: Agência Brasil Edição: Denise Griesinger foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã de hoje (8) a Operação Leet, em que cumpre mandados de prisão contra suspeitos de conduzir ataques cibernéticos contra os sistemas do Supremo Tribunal Federal (STF).

Ao todo, são cumpridos seis mandados de busca e apreensão e três de prisão temporária nas cidades de Itumbiara (GO), Bragança Paulista (SP), Belém do São Francisco (PE), Jaboatão dos Guararapes (PE) e Olinda (PE).

Entenda

Em 3 de maio, técnicos do Supremo identificaram atividades suspeitas no portal do tribunal e derrubaram os sistemas da Corte, incluindo o site oficial, que ficou diversos dias fora do ar. Com isso, uma série de serviços, incluindo o acompanhamento de andamentos processuais, ficaram inacessíveis, o que levou a uma suspensão de prazos processuais por 48 horas.

À época, o STF divulgou nota afirmando ter identificado “acessos fora do padrão” a seus sistemas, mas não confirmou tratar-se de um ataque. Uma investigação sigilosa foi então conduzida pela PF, que agora disse, em nota, ter identificado a prática de crimes cibernéticos.

“No curso do inquérito policial foram identificados os endereços de onde partiram os ataques, bem como as pessoas que, de forma sistemática e organizada, praticaram os crimes ora apurados”, diz texto divulgado pela PF. O órgão acrescentou que, com as provas eventualmente colhidas nesta terça-feira (8), “busca-se identificar demais partícipes e circunstâncias dos atos criminosos”.

Os envolvidos podem vir a responder por crime de invasão de dispositivo informático, previsto no Artigo 154-A do Código Penal, cuja pena vai de um a quatro anos de reclusão, além de multa.

O termo Leet, que dá nome à operação, se refere a uma forma de comunicação pela internet que utiliza símbolos para substituir letras e que, com o uso, tonou-se uma espécie de dialeto online. Esse tipo de linguagem costuma ser utilizada por diferentes grupos, incluindo hackers. Uma das teorias é de que essa linguagem tenha surgido para driblar filtros de texto em fóruns online.

 

8 de Junho de 2021 às 11:20

Em veículo abordado com dois homens em Monte Carmelo PM encontra arma de fogo calibre 380

Os autores foram conduzidos a Depol de plantão.

Continue lendo após anúncio
 

MONTE CARMELO (MG) - No dia 07/06/21, por volta das 20h00min, a equipe policial avistou o VW Gol de cor branca descendo pela rua Rio Araguaia iniciando o acompanhamento do veículo.

Os militares deram ordem de parada próximo ao n° 10 da rua Dona Sinda.

Segundo a PM no veículo havia dois ocupantes, sendo um jovem de 25 e 28 anos.

Os militares procederam a abordagem e localizaram 01 arma de fogo calibre 380 com 4 munições intactas embaixo do banco.

Os autores foram conduzidos a Depol de plantão.

Fonte e foto: ASCOM 46º BPM

8 de Junho de 2021 às 10:09

Pessoas com idade de 56 a 59 anos caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo serão vacinados em Guimarânia

Saiba mais

 

 

Terá início nesta terça, quarta e quinta-feira, 08,09 e 10 de junho em Guimarânia a vacinação contra a covid-19.

O público alvo dessa vacinação será:  os caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo de passageiros com documentos que comprovem o vínculo empregatício e pacientes da faixa etária de 56 a 59 anos.

A vacinação no dia 08/06, serás das 08h ás 11h30min e de 13h30min.

Dia 09/06 das 13h00min até 15h00min

Dia 10/06 das 08h00min ás 11h30min e de 13h00min ás 15h00min.

A vacinação será PSFS Amigos e Parceiros da Saúde.

A Prefeitura Municipal de Guimarânia pede para faixa etária ficarem atentos aos dias e horários.

Informações Importantes:

- Não esquecer de levar o cartão de vacina.

- Lembrando que quem vacinou contra a Influenza, precisa aguardar pelo menos 14 dias para ser vacinado contra a Covid-19.

- Quem teve a Covid-19 precisa aguardar 30 dias para ser vacinado.

Use sempre a máscara, álcool em gel e mantenha o distanciamento social, mesmo após a vacinação.

7 de Junho de 2021 às 17:34

Caixa anuncia redução de até 75% nas prestações da casa própria

Brasileiros que recebem auxílio emergencial e seguro desemprego podem também pausar as parcelas por até seis meses

 

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta segunda-feira (7) reduções nas prestações do financiamento imobiliário. Os abatimentos variam de 25% (por seis meses) a 74,99% (por três meses). Também é possível obter um desconto superior a 75% mediante à comprovação de perda de renda em meio à pandemia do novo coronavírus.

As solicitações para conseguir reduzir o valor das parcelas devem ser realizadas diretamente pelo aplicativo de habitação da Caixa Econômica Federal.

“Mais uma vez, ouvindo a população em um momento sensível para o mundo inteiro, nós estamos oferecendo uma redução no pagamento das prestações e, como normalmente faltam ainda 10 ou 15 anos [para o fim do financiamento], o acréscimo será muito pequeno e ao longo do tempo”, afirma o presidente do banco, Pedro Guimarães.

Ele garante que os valores abatidos serão cobrados na prestação seguinte à redução ou no mesmo período seguinte ao abatimento. "[O desconto] volta proporcionalmente durante todo tempo restante do crédito imobiliário", explica Guimarães.

Para os brasileiros que estão recebendo o auxílio emergencial e o seguro desemprego, passa a valer a possibilidade de realizar uma pausa no pagamento das prestações pelo período de seis meses.

Fonte: R7 foto: PIXABAY

7 de Junho de 2021 às 17:30

Mais de 40% das queimaduras graves registradas neste ano foram causadas por álcool

Dados do Hospital João XXIII, referência no atendimento a grandes queimados, alertam para o cuidado no manuseio do produto

 

 

 

Foto:Divulgação / Fhemig

A pandemia de covid-19 contribuiu para o aumento do uso de álcool, tanto líquido quanto em gel, no ambiente doméstico. No entanto, a utilização exige precaução, especialmente durante o período de isolamento, já que algumas famílias têm passado a maior parte do tempo em casa e podem estar mais suscetíveis a acidentes envolvendo o produto.

A questão tem preocupado a equipe da Unidade de Tratamento de Queimados do Hospital João XXIII – um dos centros de referência no país para esse tipo de atendimento, integrado à rede da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), em Belo Horizonte. Os dados de admissão em enfermaria e em terapia intensiva, em 2020 e 2021, demonstram a gravidade das queimaduras causadas por álcool.

Nos quatro primeiros meses deste ano, o Hospital João XXIII recebeu 138 pacientes, sendo 40 por queimaduras causadas por álcool – quase 30% das internações. Já na UTI de queimados, nesse mesmo intervalo de tempo, 17 das 41 admissões foram por acidentes envolvendo a substância. Ou seja, mais de 40% das internações graves, neste ano, ocorrem em razão da má utilização do produto.

Entre os quase 430 casos de internação em 2020, 93 tiveram o álcool como agente causador do acidente, o que representa pouco mais de 20%. No entanto, quando se considera as queimaduras ainda mais graves, o produto aparece com maior frequência: entre os 110 pacientes que passaram pela UTI específica para o tratamento de queimados da instituição, 39 foram devido ao uso de álcool – número equivalente a mais de 30% das ocorrências.

Uso correto

De acordo com a cirurgiã plástica e coordenadora do serviço, Kelly Danielle de Araújo, o risco de explosões é potencializado com o uso e o armazenamento de álcool em casa. “As queimaduras por fogo costumam ser as mais profundas e, por isso, as mais graves. Há ainda o perigo da inalação de fumaça e, por consequência, a queimadura de vias aéreas. Por isso, não recomendamos o uso de álcool para higienização da casa, tampouco para assepsia de mãos em ambiente doméstico”, ressalta Kelly.

A cirurgiã explica que o álcool deve ser utilizado apenas quando a pessoa está na rua, onde não há outra possibilidade de higienização das mãos. Outra opção é a espuma antisséptica com clorexidina, que dispensa o uso de água e não tem o risco de combustão. Em casa, deve-se dar preferência à água e sabão, friccionando palmas, dorso, dedos e unhas por pelo menos 20 segundos antes de enxaguar. 

Para fazer a limpeza comum da casa, o álcool pode ser substituído por outros produtos sanitizantes mais seguros, como o hipoclorito de sódio (água sanitária) na concentração de 2,0% a 2,5%.

A aplicação do álcool em gel nas mãos ainda exige outros cuidados. "É importante ter cautela para que o produto não espirre nos olhos, o que pode causar queimaduras oculares e, inclusive, sequelas. O fumante também deve redobrar a atenção para não acender o cigarro antes da secagem completa do álcool nas mãos”, enfatiza a médica. 

Vigilância com crianças em casa

Mais da metade das queimaduras atendidas no Hospital João XXIII, considerando tanto os casos graves quanto os que nem sempre exigem internação, são causadas por contato com líquidos muito quentes – as chamadas escaldaduras. Em 2020, dos 1.537 atendimentos a queimados na unidade, 922 foram em decorrência desse tipo de acidente. Desse total, 181 foram com crianças de 0 a 11 anos.

Com o isolamento social, a precaução deve ser aumentada. “Pedimos aos pais que tomem bastante cuidado com panelas quentes, não as deixando na beirada do fogão e sempre com os cabos virados para o fundo”, pontua a coordenadora da Unidade de Tratamento de Queimados, Kelly Araújo. Outro risco são as queimaduras elétricas. “Se possível, indicamos o uso de protetores de tomadas para evitar que as crianças coloquem o dedo e se queimem”, alerta.

O autônomo Fábio Lúcio Oliveira Costa vivenciou uma situação alarmante, em 2018, quando a filha, Luíza, na época com 1 ano e 8 meses, se envolveu em um acidente doméstico. “Eu estava me preparando para ir trabalhar e deixei o ferro de passar esquentando, na tomada, por alguns segundos. Nesse curto intervalo de tempo, ela acordou, saiu da cama e encostou a mão na parte quente. Foi um susto muito grande. Saímos desesperados para o posto de saúde. A queimadura foi tão grave que ela foi encaminhada com urgência para o João XXIII”, relata.

Luíza ficou 14 dias internada e precisou fazer enxerto para recuperar a palma da mão. “Durante o tempo em que estivemos no hospital com ela, fiquei impressionado com a quantidade de crianças que chegam, todos os dias, acidentadas com água quente, churrasqueira, álcool e outras coisas. Hoje ela está bem, sem sequelas, apenas com uma cicatriz”, revela. “Hoje em dia, se estou mexendo com panela na cozinha, coando um café ou o que quer que seja, peço sempre que ela saia de perto. São situações simples de se evitar, mas que a maioria das pessoas pensa que nunca acontecerão. E, infelizmente, acontecem”, conta o pai da criança, que também destaca a gratidão à equipe do hospital..

Junho laranja

Promovido pela Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ), o Junho Laranja visa à conscientização da população e das autoridades quanto à prevenção de acidentes com queimaduras. Neste ano, o tema da campanha é “Álcool e fogo: mantenha distanciamento. Contra queimaduras, prevenção é a vacina”. 

De acordo com a organização, no Brasil, são cerca de 150 mil internações por ano em razão de queimaduras. Desse total, em média, 30% são crianças. Prédios públicos estão sendo iluminados com a cor laranja em razão da data, entre eles, o Hospital João XXIII, Hospital Infantil João Paulo II (HIJPII) e o Hospital Maria Amélia Lins (HMAL).

7 de Junho de 2021 às 14:47

Polícia Civil amplia sistema de vistoria eletrônica de veículos em Minas Gerais

Nova ferramenta torna o procedimento mais ágil e seguro. Meta é alcançar todo o estado

Continue lendo após anúncio
 

Fonte: Agência de Minas foto: Gil Leonardi/Imprensa MG

O Sistema de Vistoria Eletrônica de Veículos da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) já está presente, neste momento, em 170 municípios mineiros. A nova ferramenta, além de substituir o uso de papel, diminui a possibilidade de fraudes e erros, dando mais segurança aos proprietários de veículos que buscam pelos serviços do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG).

A vistoria, obrigatória nos casos de transferência de propriedade, alteração de dados e emissão do Certificado de Registro do Veículo (CRV), é o ato de avaliar um veículo. O procedimento assegura a legitimidade da propriedade, a autenticidade da identificação do automotor e da documentação, além de constatar se os equipamentos estão em condições corretas e seguras para o uso.
 
Antes da implantação do sistema, a identificação veicular era realizada por meio do decalque das marcações de chassi e motor, extraído com uso de papel e lápis. No processo eletrônico, a avaliação é feita por meio de um aplicativo de celular com controle de localização, no qual o vistoriador inclui fotos e dados da identificação do veículo. As imagens e informações captadas são enviadas para o banco de dados do Detran-MG, com validação automática e laudo de vistoria imediato.

A implantação do sistema começou no quarto trimestre de 2019, em Belo Horizonte, e até de março deste ano estava presente em 25 cidades. O avanço para outras 145 localidades foi feito, em 2021, em menos de três meses. O objetivo da PCMG é estender a vistoria eletrônica para 100% das unidades de trânsito do estado o mais brevemente possível.
 
Segurança
 
Diretor do Detran-MG, o delegado Eurico da Cunha Neto destaca que o armazenamento das informações por meio digital permite que todo o processo de vistoria de identificação veicular seja monitorado e auditado.

Com os laudos eletrônicos, é possível identificar alterações nas principais características do veículo e verificar adulteração de quilometragem, de chassi e de motor, o que evita fraudes e oferece mais segurança ao usuário sobre a procedência do veículo. “Esse é mais um passo para a transformação digital dos serviços do Detran-MG. O cidadão é beneficiado com um sistema mais seguro, rápido e prático”, afirma.
 
O chefe da Divisão de Registro de Veículos (DRV), delegado Matheus Cobucci Salles, ressalta a importância da nova ferramenta para a eficiência e a eficácia dos serviços prestados pelo órgão. "O novo sistema traz considerável modernização aos processos de trabalho envolvendo o registro de veículos automotores, como substituição do decalque em meio físico pela leitura ótica, integração com os sistemas do Detran-MG e armazenamento de informações e consulta eletrônicos. Além disso, a utilização da vistoria eletrônica reflete em transparência e otimização de custos para o estado”, explica.

7 de Junho de 2021 às 13:52

Nota de falecimento PATOS DE MINAS: Sr. Vicente Pereira de Amorim aos 87 anos.

Informou a Funerária São Pedro e Velório Príncipe da Paz.

 

 

Faleceu no dia 07/06 em Patos de Minas (MG) - Sr. Vicente Pereira de Amorim aos 87 anos.

Deixa a esposa: Cândida.

Deixa os filhos: Gaspar, Ernane e Mauricio, os genros, noras, netos, bisnetos e demais parentes e amigos.

Cerimonial foi realizado restrito Conforme Decreto Municipal, no Velório Príncipe da Paz rua Ouro Preto, 798, Bairro Várzea.

Será sepultado nesta segunda-feira dia 07/06/2021 as 13h00min no Cemitério de Santa Cruz.

Informa a Funerária São Pedro e Velório Príncipe da Paz.

Site: www.grupofsp.com.br

7 de Junho de 2021 às 13:43

Começa hoje o prazo de inscrições para o Encceja, Pessoas Privadas de Liberdade 2020

Provas para o ensino fundamental e médio serão em outubro

Continue lendo após anúncio
 

Fonte: Agência Brasil Edição: Kleber Sampaio foto: Thathiana Gurgel/DPRJ

Começam nesta segunda-feira 7/06 e vão até o próximo dia 18 deste mês as inscrições para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos para Pessoas Privadas de Liberdade ou sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade - Encceja PPL 2020. As provas para o ensino fundamental e médio vão ser aplicadas nos dias 13 e 14 de outubro de 2021.

Para as pessoas privadas de liberdade e jovens que estão sob medidas socioeducativas, o responsável pedagógico é o profissional que entra na página do participante, faz a inscrição dos interessados, verifica a divulgação dos resultados e determina as salas de provas dos participantes, assim como a transferência entre as unidades, caso seja necessário. Também cabe a esse profissional excluir do exame aqueles que tiverem a liberdade decretada.

No momento da inscrição é preciso selecionar qual o tipo de prova que deseja fazer: Encceja para ensino fundamental - idade mínima de 15 anos completos no dia de realização do exame - ou Encceja para ensino médio. Nesse último caso, é exigida idade mínima de 18 anos completos na data de realização do exame. Ainda na inscrição, o responsável pedagógico precisa selecionar quais áreas o candidato deseja fazer. Aqueles que têm declaração de proficiência parcial em algumas áreas, não precisam repetir a prova. Já quem não possui essa declaração deve marcar todas as alternativas.

Provas

As provas do Encceja PPL têm o mesmo nível de dificuldade do Encceja regular. A diferença entre elas é a aplicação, que ocorre dentro de unidades prisionais e socioeducativas. Podem participar jovens e adultos brasileiros que não tiveram a oportunidade de concluir os estudos de nível básico na idade adequada. São quatro provas objetivas, cada uma com 30 questões de múltipla escolha, além de uma redação.

Como é

O Encceja é uma prova do Instituto Nacional de Ensino e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) criada em 2002 para avaliar o conhecimento das pessoas que voltaram a estudar porque não conseguiram concluir o ensino fundamental ou médio na idade adequada. Um bom resultado no exame garante ao estudante um certificado de conclusão dos estudos com o mesmo valor de um diploma de uma escola de ensino fundamental ou médio.