# Notícias Gerais

21 de Fevereiro de 2017 às 07:49

Cruzeiro estreia no Brasileiro contra São Paulo, no Mineirão; Atlético enfrenta Flamengo fora

Campeonato começa dia 13 de maio; confira os confrontos dos times mineiros no primeiro turno.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou nesta segunda-feira a tabela básica da Série A do Campeonato Brasileiro 2017. A competição começará no dia 13 de maio e já reserva clássicos nacionais já na primeira rodada.

O Atlético irá estrear fora de casa contra o Flamengo. Já o Cruzeiro fará o primeiro jogo contra o São Paulo, no Mineirão. Outros jogos de grande magnitude no cenário nacional logo na rodada inicial são: Fluminense x Santos, Palmeiras x Vasco e Grêmio x Botafogo.

O clássico entre Atlético e Cruzeiro no turno acontecerá na 11ª rodada, no dia 1º ou 2 de julho. O mando de campo é do Galo. No returno, com mando da Raposa, o duelo está agendado para a 30ª rodada, no dia 21 ou 22 de outubro. Clique aqui para acessar a tabela completa.

Confira os quatro primeiros jogos de Atlético e Cruzeiro:

1ª rodada (13 ou 14 de maio)

Flamengo x Atlético

Cruzeiro x São Paulo

2ª rodada (20 ou 21 de maio)

Atlético x Fluminense

Sport x Cruzeiro

3ª rodada (27 ou 28 de maio)

Atlético x Ponte Preta

Santos x Cruzeiro

4ª rodada (3 ou 4 de junho)

Palmeiras x Atlético

Cruzeiro x Chapecoense

Fonte: Itatiaia

21 de Fevereiro de 2017 às 07:43

Alexandre de Moraes será sabatinado hoje no Senado e indicação deve ser votada amanhã

Comissão que analisará indicação tem nove investigados pela Lava Jato

O ministro da Justiça licenciado Alexandre de Moraes será sabatinado nesta terça-feira (21) pelos senadores membros da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). Moraes foi indicado pelo presidente Michel Temer para a vaga de Teori Zavascki no STF (Supremo Tribunal Federal). Para a sua indicação ser aprovada, além da sabatina e da aprovação na comissão, seu nome precisa ser referendado pelo plenário do Senado, em votação que deve acontecer possivelmente nesta quarta-feira (22), mas pode ocorrer ainda hoje. 

Dos 27 membros efetivos da CCJ, cinco são investigados no âmbito da Lava Jato na Suprema Corte, incluindo o presidente da comissão, Edison Lobão (PMDB-MA), e o o vice, Antônio Anastasia (PSDB-MG). Entre os suplentes há outros quatro investigados. Moraes, que será sabatinado por eles, irá integrar o pleno de 11 ministros que julgarão as ações da Operação no tribunal. O relator é o ministro Edson Fachin e Moraes será o revisor. 

Desde que foi indicado por Temer ao STF, Alexandre de Moraes tem percorrido os gabinetes de senadores em busca de apoio. Um dos encontros chamou a atenção por ter sido realizado no barco do senador Wilder  Morais (PP-GO). 

Além das perguntas dos senadores, Moraes irá responder perguntas de cidadãos, que podem enviar questionamentos pelo Portal e-Cidadania do Senado. 

Alexandre de Moraes é o primeiro nome escolhido para o tribunal pelo presidente Michel Temer, que assumiu a chefia do Executivo em maio de 2016.

Sabatina

Durante a sabatina, os senadores membros da CCJ podem perguntar a Alexandre de Moraes sobre temas que estejam na alçada do STF ou em discussão na sociedade e no Congresso Nacional. Também podem interpelar o indicado a respeito de seu currículo profissional e outros fatos de sua vida que considerarem relevantes.

Cada senador terá dez minutos para formular seus questionamentos, e Moraes terá o mesmo tempo para responder. São previstas também réplica e tréplica, de cinco minutos cada.

A sabatina não tem limite de tempo, e sua duração pode variar muito. A do ministro Edson Fachin, em 2015, prolongou-se por mais de 11 horas, enquanto a de Teori Zavascki, em 2012, foi concluída em pouco mais de três horas.

É possível enviar perguntas e comentários para a CCJ através do e-Cidadania até o dia da sabatina.

Votação

Imediatamente após a sabatina, a comissão votará a indicação, em votação secreta. O nome precisa ser aprovado pela maioria simples dos membros (maioria dos presentes à reunião). Caso o resultado seja favorável à indicação, o parecer da CCJ será encaminhado ao Plenário. O presidente do Senado, Eunício Oliveira, já manifestou a intenção de fazer a votação em Plenário no mesmo dia.

Alexandre de Moraes precisa da aprovação de, pelo menos, 41 dos 81 senadores para tornar-se o novo ministro do Supremo Tribunal Federal. A votação em Plenário também será secreta.

Biografia

Alexandre de Moraes é doutor em Direito Constitucional pela Universidade de São Paulo (USP), jurista e trabalhou como promotor de Justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo. Leciona na USP, na Universidade Presbiteriana Mackenzie, na Escola Superior do Ministério Público e da Escola Paulista da Magistratura.

Sua carreira no serviço público começou em 2002, quando foi nomeado secretário estadual de Justiça e da Defesa da Cidadania em São Paulo, no governo de Geraldo Alckmin (PSDB). Ficou no cargo até 2005, quando saiu para ocupar uma vaga no Conselho Nacional de Justiça (2005-2007). Depois foi secretário municipal de Transportes (2007-2010) e Serviços (2009-2010) na cidade de São Paulo, nas gestões de Gilberto Kassab (DEM), e secretário estadual de Segurança Pública (2015-2016) de São Paulo, novamente no governo Geraldo Alckmin.

Moraes é o 27º nome a ser indicado para o STF desde a redemocratização do país, em 1985, e o 25º sob a vigência da Constituição Federal de 1988. Ele é e o quarto ex-ministro da Justiça a ser agraciado com a nomeação no mesmo período. Antes dele, Nelson Jobim (1997), Maurício Corrêa (1994) e Paulo Brossard (1989) também foram indicados. Apenas Corrêa não ocupava o cargo no momento da indicação – era senador pelo Distrito Federal e havia deixado o Ministério sete meses antes.

A indicação de Moraes é a primeira de um ministro de Estado em exercício desde 2009. Naquele ano, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva nomeou para o cargo o então advogado-geral da União José Antônio Dias Toffoli.

Mariana Londres, do R7, em Brasília com Agência Senado

21 de Fevereiro de 2017 às 07:40

Vídeo mostra o resgate emocionante de uma menina após sua casa ser bombardeada na Síria. Assista

Socorristas voluntários cavaram os escombros com as próprias mãos e salvaram a criança

Um vídeo gravado na Síria nesta segunda-feira (20) mostra o resgate emocionante de uma menina, após sua casa ser bombardeada.

Identificada apenas como Aya, a criança foi salva por socorristas que escavaram os escombros do local com as próprias mãos.

As imagens foram feitas pelos White Helmets (Capacetes Brancos, em tradução livre), um grupo de voluntários civis que atuam no país.

Um dos homens que trabalhou no resgate disse que a menina estava aterrorizada e que eles gritavam “estamos chegando, não tenha medo, a ajuda está chegando” para tentar acalmá-la.

Apesar de ter sido resgatada com vida, o estado de saúde da criança ainda é desconhecido.

De acordo com informações do jornal britânico Daily Mail, dois bairros de Damasco, capital síria, foram bombardeados ontem.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos declarou que dez pessoas foram feridas nos ataques.



Fonte:R7

21 de Fevereiro de 2017 às 07:37

Nasa convoca coletiva de imprensa para falar sobre descoberta fora do Sistema Solar

Agência deve revelar informações sobre exoplanetas, esperança de vida fora do planeta

A agência espacial norte-americana Nasa tem informações importantes e quer compartilhá-las com o público. De acordo com um comunicado da agência para a imprensa, o assunto é uma "descoberta além do nosso Sistema Solar". O evento terá uma revelação sobre exoplanetas e planetas que orbitam estrelas diferentes do nosso Sol.

xoplanetas são a maior esperança dos cientistas na busca por vida no Universo, porque são os planetas que apresentam condições parecidas com as da Terra e possuem os elementos necessários para a existência de organismos vivos. Vários deles são descobertos a cada dia.

A coletiva da Nasa acontece na próxima quarta-feira (22), em Nova York (EUA) e deve ser transmitida ao vivo no site oficial da agência. Estarão no evento astrônomos e cientistas planetários de várias partes do mundo, segundo o comunicado da Nasa.

O público poderá realizar perguntas usando a hashtag #AskNasa nas redes sociais da agência durante a conferência de imprensa. Haverá ainda uma sessão de perguntas e respostas no Reditt após o evento. E aí, alguém se arrisca a dizer o que a Nasa descobriu?

Fonte: R7

21 de Fevereiro de 2017 às 15:43

Homem é esfaqueado com golpe de canivete e autor acaba preso

O fato aconteceu em Lagamar

Um homem foi vítima de tentativa de homicídio na noite dessa segunda-feira (20/02), na cidade de Lagamar. O crime aconteceu na Rua Nicodemos Honório Teixeira, bairro Sol Nascente.

De acordo com a Polícia Militar, a vítima, identificada como Rones, estava em um bar na companhia da mãe do autor da facada, consumindo bebidas alcoólicas.

Em certo momento, o autor, Carlos Henrique, de 25 anos, teria recebido a informação de que sua mãe estaria sendo agredida. Logo em seguida, ele foi ao local e tentou levar sua mãe embora, porém a vítima não quis deixar.

Os dois começaram a discutir e Rones passou a agredir Carlos Henrique que, para se defender, desferiu um golpe de canivete na vítima.

Rones Ambrósio da Cruz, de 35 anos, teve um corte no pescoço e foi encaminhado por uma ambulância até o Pronto Atendimento de Lagamar.

O autor foi preso e encaminhado ao quartel da polícia e o canivete foi apreendido.

Fonte: Patos Agora


21 de Fevereiro de 2017 às 07:02

Evangelho do Dia

O Filho do Homem vai ser entregue... Se alguém quiser ser o primeiro, que seja aquele que serve a todos!

"O Filho do Homem será entregue nas mãos dos homens, e o matarão; e ressuscitará três dias depois de sua morte”. Mas não entendiam essas palavras; e tinham medo de lho perguntar. [...] Quando já estava em casa, Jesus perguntou-lhes: "De que faláveis pelo caminho?”. Mas eles calaram-se, porque pelo caminho haviam discutido entre si qual deles seria o maior. Sentando- se, chamou os Doze e disse-lhes: "Se alguém quer ser o primeiro, seja o último de todos e o servo de todos”. E tomando um menino, colocou-o no meio deles; abraçou-o e disse-lhes: "Todo o que recebe um destes meninos em meu nome, a mim é que recebe; e todo o que recebe a mim, não me recebe, mas aquele que me enviou”.
 

Evangelho de hoje: Mc 9,30-37

20 de Fevereiro de 2017 às 16:28

Vítima de acidente com filho de William Bonner e Fátima Bernardes não consegue andar

Um familiar de Giuliano contou a Leo Dias que a apresentadora paga o tratamento

grave acidente de carro envolvendo Vinícius Bonemer, filho de Fátima Bernardes e William Bonner, que aconteceu no mês passado, entre as cidades de Búzios e Cabo Frio, na Região do Lagos no Rio de Janeiro, deixou Giuliano Castro, amigo do herdeiro, sem os movimentos da perna, decorrente das lesões na coluna.

O jovem, de 19 anos, foi operado aqui no Brasil e depois transferido para Boston, onde está internado tratando a lesão. Neste sábado (18), ele passou por uma nova cirurgia. A paralisia não é irreversível, aparentemente. O colunista Leo Dias, do jornal O Dia, conversou com uma parente de Giuliano, que pediu para não se identificar, e contou detalhes do estado de saúde dele.

"A Fátima é a única que se importa realmente com o menino. Os custos dele são altíssimos. A família dele tem posses, eles são donos da Estácio [universidade], mas ela faz questão de pagar".
 

Vinicius, filho de Bonner e Fátima, sofre acidente de carro

Fonte: R7

20 de Fevereiro de 2017 às 15:43

Temer promete encaminhar reforma política ao Congresso

Em evento do agronegócio, presidente destaca avanços na Previdência e relações trabalhistas

O presidente da República, Michel Temer (PMDB), afirmou nesta segunda-feira (20) em São Paulo que seu governo tem caráter reformista e que, “se tempo houver”, vai encaminhar uma proposta de reforma política ao Congresso Nacional. O envio seria feito até o final do mandato do peemedebista, em dezembro de 2018.

— Temos o dever de promover uma simplificação tributária no País e, se tempo houver, queremos caminhar para ajudar o Congresso a fazer uma reformulação política no nosso País. Queremos caminhar para isso. Desde logo, claro, que essa tarefa é do Congresso Nacional. Evidentemente, se o governo der uma mão, ajudar a empurrar a reforma política.

Antes, porém, destacou os avanços nas áreas da Previdência e das relações trabalhistas e afirmou que o País precisa passar por uma simplificação tributária (não uma reforma).

— O passo seguinte que temos que dar é a simplificação tributária, porque ninguém suporta mais o que está acontecendo no País. Não falo em reforma, falo em simplificação. [...] Se ao final desse período conseguirmos realizar todas as reformas, eu, no plano pessoal, me darei por satisfeito.

O peemedebista também destacou a importância do agronegócio para o País: “A agricultura tem uma conexão grande com a indústria. Quando cresce, aumenta a produção de máquinas”.

— O agronegócio é sinônimo de sucesso, pois estimula o crescimento e gera empregos.

Temer disse que, “ao longo do tempo, temos dito que somos um governo reformista. Vamos entregar ao Brasil um país que esteja nos trilhos”. Em seguida, disse que “a reforma trabalhista foi proposta com base no diálogo com empregados e empregadores”.

Sobre a reforma da Previdência, disse que “ou reforma a Previdência hoje ou daqui 10 anos, quando batermos as portas do governo, não teremos dinheiro para pagar”.

Ao lado do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, e do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), Temer participou do Agro+SP, evento do governo paulista para modernizar o agronegócio para reduzir o custo das atividades do setor e combater a ineficiência gerada pela burocracia.

Fonte: R7

20 de Fevereiro de 2017 às 15:41

PF sugere que Lula, Dilma e Mercadante sejam denunciados em 1ª instância

Delegado que atua no STF levantou suspeitas a partir da nomeação de Lula para o governo Dilma

A Polícia Federal atribui aos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff o crime de obstrução de Justiça. Contra o ex-ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil e Educação) também se atribui o mesmo crime, além de tráfico de influência.

Em relatório de 47 páginas, o delegado de Polícia Federal Marlon Oliveira Cajado dos Santos, do Grupo de Inquéritos da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, sugere que os ex-presidentes e o ex-senador e ex-ministro sejam denunciados criminalmente, mas em primeiro grau judicial — no âmbito da Justiça Federal do Distrito Federal — já que nenhum deles detém foro privilegiado na Corte máxima.

O relatório do inquérito foi encaminhado ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, e ao procurador-geral da República Rodrigo Janot. Formalmente, a PF não indiciou Lula, Dilma e Mercadante, mas sustenta que "o conjunto probatório é suficiente".

Para a PF, ao nomear Lula ministro-chefe da Casa Civil, em março de 2016, a então presidente e seu antecessor — que com a medida de Dilma ganharia foro privilegiado no Supremo e, na prática, escaparia das mãos do juiz federal Sérgio Moro — provocaram "embaraço ao avanço da investigação da Operação Lava Jato".

A conclusão da PF ocorre na mesma semana em que o ministro Celso de Mello, do STF, deu sinal verde para a nomeação do ministro Moreira Franco — citado em delações de executivos da empreiteira Odebrecht — para a Secretaria-Geral da Casa Civil do governo Michel Temer. Para a nomeação de Lula, contudo, o STF tomou uma decisão diferente. Então sob investigação da Lava Jato, Lula foi impedido pelo ministro Gilmar Mendes de tomar posse.

No caso de Aloizio Mercadante, a investigação foi baseada na gravação de uma conversa dele com o ex-chefe de gabinete do ex-senador Delcídio Amaral (ex-PT/MS), Eduardo Marzagão. O ex-ministro teria demonstrado empenho em barrar a delação premiada de Delcídio. A PF crava que Mercadante provocou "embaraço à colaboração premiada do ex-senador Delcídio do Amaral".

O inquérito foi aberto para investigar simultaneamente três capítulos emblemáticos da Lava Jato: 1) o teor da conversa gravada entre Mercadante e o ex-chefe de gabinete de Delcídio no Senado, ocorrida em 28 de dezembro de 2015 — 33 dias depois da prisão de Delcídio; 2) a nomeação de Lula para o cargo de ministro-chefe da Casa Civil do governo Dilma; 3) e a indicação do ministro Marcelo Navarro Ribeiro Dantas para o Superior Tribunal de Justiça, episódio envolvendo o ex-presidente da Corte, ministro Francisco Falcão.

Com relação aos ministros do STJ, o delegado da PF sugere desmembramento dos autos porque ambos desfrutam de foro especial no Supremo. A nomeação de Navarro para o STJ teria sido resultado de um plano, segundo a delação de Delcídio, para favorecer o empreiteiro Marcelo Bahia Odebrecht, preso desde junho de 2015 na Lava Jato.

Nessa parte da investigação que cita Navarro e Falcão, o delegado pretendia ouvir Odebrecht e também o ex-presidente da Andrade Gutierrez Otávio Azevedo, além de Delcídio e Diogo Ferreira Rodrigues, que trabalhou no gabinete do ex-senador. Mas, com os desdobramentos da delação premiada do ex-presidente da Odebrecht — atualmente, preso em Curitiba —, Cajado considerou oportuno aguardar que se dê publicidade às revelações do empreiteiro.

Ao se referir especificamente a Mercadante e à gravação, a PF diz: "os conteúdos das conversas são reveladores". Os diálogos foram gravados por Marzagão. Na ocasião, Delcídio já sinalizava que pretendia fazer uma delação premiada.

O ex-senador foi preso em flagrante no dia 25 de novembro de 2015, por ordem do Supremo Tribunal Federal, sob acusação de tentar comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró — o próprio Delcídio foi gravado pelo filho de Cerveró tramando até uma possível fuga do ex-diretor da estatal petrolífera para o exterior.

Publicidade

Fechar anúncio

O alcance explosivo da delação de Delcídio, que foi líder do governo Dilma no Senado, deixou o Palácio do Planalto em alerta máximo. Mercadante tinha acabado de deixar a Casa Civil de Dilma, no dia 2 de outubro, e assumira a Educação.

Mercadante teria se empenhado em encontrar uma estratégia legal para livrar o ex-senador. A prisão de Delcídio foi endossada pelo Senado, com o que Mercadante nunca concordou. Para ele, a saída poderia ser encontrada no âmbito do próprio Senado. "Só dá prá fazer coisa na legalidade, com transparência", disse o ex-ministro na conversa com Eduardo Marzagão.

"Ele (Delcídio) se defenda como achar que deve se defender, não tô falando nem como governo nem como ministro da Casa Civil. Eu serei solidário ao Delcídio", disse, ainda, Mercadante.

No relatório, o delegado Marlon Cajado afirma que Mercadante "atuou de forma consciente para prejudicar acordo de colaboração premiada de Delcídio do Amaral objetivando embaraçar o avanço das investigações da Operação Lava Jato".

A ação de Mercadante incluiria uma conversa com o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo. "Também precisa conversar com Lewandowski. Eu posso conversar com ele para achar uma saída." O ex-ministro e ex-senador sempre sustentou que a "saída" que busca era dentro do aspecto legal e no próprio Senado, por meio da convocação de uma nova sessão na Casa.

A PF é taxativa ao apontar a "existência da materialidade do crime de tráfico de influência, previsto no artigo 332 do Código Penal com autoria de Aloizio Mercadante".

"Vez que o mesmo, a pretexto de desestimular o acordo de colaboração premiada de Delcídio do Amaral, jacta-se de que utilizaria seu prestígio para costurar uma "saída" junto ao Senado Federal com o então presidente (do Senado) Renan Calheiros e o advogado-geral do Senado Bruno Dantas, e no Supremo Tribunal Federal, com o ministro Ricardo Lewandowski e outros, de modo a conseguir a libertação de Delcídio do Amaral." Para o delegado da PF, contra Mercadante existem "indícios de obstrução de Justiça e tráfico de influência".

Sobre Lula e Dilma, o delegado segue a mesma linha. "No tópico 'embaraço à investigação mediante a nomeação de Luiz Inácio Lula da Silva para a chefia da Casa Civil da Presidência da República', também acreditamos haver suficientes indícios de materialidade e autoria do crime previsto no artigo 2.º, parágrafo 1.º, da Lei 12.850/2013 atribuível à Dilma Rousseff e a Luiz Inácio Lula da Silva, uma vez que ambos, de forma consciente, impuseram embaraços ao avanço das investigações da Operação Lava Jato contra o ex-presidente Lula em razão da sua nomeação para o cargo de ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República."

A PF diz que com relação aos ex-presidentes, "a nomeação de Lula caracteriza obstrução de Justiça". "O conjunto probatório (contra Dilma, Lula e Mercadante) foi suficiente".

O delegado sugere o declínio da competência dessa parte do inquérito para a Justiça Federal do Distrito Federal (primeira instância judicial). E recomenda, ainda, a continuação das investigações sobre os ministros do STJ Marcelo Navarro e Francisco Falcão, mas na alçada do Supremo Tribunal Federal.

Conteúdo Estadão