# Notícias Gerais

9 de Fevereiro de 2017 às 18:25

Padre é encontrado ferido em quarto de motel em Divinópolis (MG)

Suspeita é que o pároco tenha sido vítima da assalto

Um padre, de 55 anos, foi encontrado ferido em um quarto de motel, em Divinópolis, na região central de Minas Gerais, na manhã desta segunda-feira (6). A suspeita é que ele tenha sido vítima de uma tentativa de assalto.

Quando a faxineira do estabelecimento estava limpando os aposentos, pela manhã, ela percebeu que uma das portas estavam trancadas. Um chaveiro foi chamado para abri-la e Clever Geraldo de Souza estava caído no quarto. De acordo com as informações do boletim de ocorrências, o padre estava gravemente ferido.

A Polícia Militar (PM) foi acionada e Souza levado para o hospital. Ele relatou que a única coisa que se lembra é que foi abordado no trânsito enquanto estava dirigindo. De acordo com o boletim de ocorrências, o padre teria chegado ao local, de carro, acompanhado por um homem, no final da noite deste domingo (5).

Policiais recolheram uma corda, que estava no quarto onde o padre foi encontrado. A Polícia Civil, que agora investiga o caso, informou que não foi possível realizar perícia no local, uma vez que ele já havia sido limpo pelos funcionários do motel. Como Souza foi levado para o hospital, ele ainda não foi ouvido. O padre deve prestar depoimento nos próximos dias.

Procurado pelo R7, o Hospital Santa Mônica informou que o padre deu entrada no pronto socorro da unidade, na manhã desta segunda. De acordo com a assessoria, Souza recebeu atendimento médico, passou por exames clínicos e foi liberado.

Por meio de nota, a Arquidiocese de Divinópolis lamentou o ocorrido, que segundo eles "revelam e atraem as atenções e os ânimos sobre as mazelas dos membros da igreja". A instituição informou, ainda, que repudia qualquer forma de violência, independentemente de quem sejas os envolvidos e as circunstâncias.

Fonte: R7

9 de Fevereiro de 2017 às 09:20

Senado aprova reforma do ensino médio e texto vai à sanção

Votação com 43 votos favoráveis e 13 contrários mantém disciplinas de educação física e arte

O plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (8) a Medida Provisória que trata da Reforma do Ensino Médio. O texto recebeu 43 votos favoráveis e 13 contrários e seguirá agora para sanção do presidente da República, Michel Temer. A MP não sofreu alterações em relação ao texto final da Câmara dos Deputados.

Entre as principais mudanças estão a ampliação de 50% para 60% a composição do currículo da etapa de ensino preenchido pela Base Nacional Comum. Os 40% restantes serão destinados aos chamados itinerários formativos, em que o estudante poderá escolher entre cinco áreas de estudo: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e profissional. O projeto prevê que os alunos poderão escolher a área na qual vão se aprofundar já no início do ensino médio.

Quando passou pela Câmara, a medida recebeu emenda restabelecendo a obrigatoriedade das disciplinas de educação física, arte, sociologia e filosofia na Base Nacional Comum Curricular, que estavam fora do texto original.

A oposição no Senado tentou obstruir a votação e apresentou diversas sugestões de emenda para tentar modificar o texto, mas elas foram rejeitadas pela maioria do plenário.

Foi mantida ainda a permissão para que profissionais com notório saber, ou seja, sem formação acadêmica específica para lecionar, possam dar aulas no ensino técnico e profissional. Isso permitirá, por exemplo, a um engenheiro dar aulas de matemática ou física e não mais necessariamente um professor com licenciatura nessas áreas.

Carga horária

A proposta também estabelece uma meta de ampliação da carga horária para pelo menos mil horas anuais no prazo máximo de cinco anos para todas as escolas do ensino médio, com apoio financeiro do governo federal.

Fonte: Agência Brasil

9 de Fevereiro de 2017 às 09:06

Febre amarela já provocou a morte de 70 pessoas em três estados

Mais de mil pacientes apresentaram suspeita da doença; Minas Gerais é o estado mais atingido

A febre amarela já provocou a morte de 70 pessoas nos estados de Minas Gerais, do Espírito Santo e de São Paulo. Segundo boletim divulgado hoje (8) pelo Ministério da Saúde, até o momento, 1.060 pacientes apresentaram suspeita da doença nos três estados e também na Bahia e no Tocantins. Do total notificado, 215 casos foram confirmados, 765 permanecem sob investigação e 80 foram descartados. Das 166 mortes suspeitas da doença registradas até agora, três foram descartadas e 93 ainda estão sendo avaliadas.

Minas Gerais é o estado com maior número de registros de febre amarela, com 903 notificações, das quais 191 confirmadas, em 73 municípios. O estado também tem o maior número de mortes por febre amarela, com a confirmação de 61 das 70 notificações.

Com 114 notificações de suspeitas da doença, o Espírito Santo tem 20 casos confirmados de febre amarela e continua investigando 89. Seis pessoas morreram pela doença no estado. Em São Paulo, quatro casos de febre amarela já foram confirmados — três com morte — e cinco continuam sob investigação.

A Bahia tem nove casos suspeitos da doença e o Tocantins, um.

Vacina

O Ministério da Saúde tem enviado doses extras da vacina contra a febre amarela aos estados que têm registrado casos suspeitos da doença e aos que fazem divisa com as áreas afetadas. No total, 9,9 milhões de doses extras foram encaminhadas a cinco estados: Minas Gerais (4,5 milhões), Espírito Santo (2,5 milhões), São Paulo (1,2 milhão), Bahia (900 mil) e Rio de Janeiro (850 mil). Além da vacina, o ministério vai repassar R$ 40 milhões aos municípios mais afetados pela febre amarela no país.

A vacinação de rotina contra a febre amarela é oferecida em 19 estados do país com recomendação para imunização para a doença. Todas as pessoas que vivem nesses locais devem tomar duas doses da vacina ao longo da vida. Também precisam se vacinar, neste momento, pessoas que vão viajar ou vivem nas regiões que estão registrando casos da doença: leste de Minas Gerais, oeste do Espírito Santo, noroeste do Rio de Janeiro e oeste da Bahia.

Segundo o Ministério da Saúde, não há necessidade de corrida aos postos de saúde, pois as doses são suficientes para atender às regiões com recomendação de vacinação.

Fonte: Agência Brasil foto: R7

9 de Fevereiro de 2017 às 09:01

Depois de 103 mortes em seis dias no ES, mulheres de policiais e o governo fazem reunião

Foi feita a primeira discussão nesta quarta-feira (8) sobre a situação no Estado

Ao menos 103 pessoas morreram desde que começou a greve de policiais no Espírito Santo, há seis dias. O caos continua nas cidades e, durante a noite desta quarta-feira (8), mulheres de policiais e o governo fizeram a primeira reunião para discutir a situação do Estado.

As mulheres mostraram suas propostas para os policiais voltarem ao trabalho e o governo prometeu uma resposta ainda nesta quinta-feira (9). Mais de 200 homens da Aeronáutica foram reforçar a segurança nas ruas.

A conversa aconteceu a portas fechadas e terminou sem nenhum acordo. Porém, existe outra reunião marcada para a tarde desta quinta-feira (9) com a proposta do governo. As famílias protestam impedindo a saída dos militares nos batalhões. Elas querem reajuste salarial para a categoria, que é proibida de fazer greve.

Fonte: R7

9 de Fevereiro de 2017 às 08:07

Evangelho do Dia

Os cachorrinhos, debaixo da mesa, comem as migalhas que as crianças deixam cair.

Tendo entrado numa casa, não quis que ninguém o soubesse. Mas não pôde ficar oculto, pois uma mulher, cuja filha possuía um espírito imundo, logo que soube que ele estava ali, entrou e caiu a seus pés. [...] Ora, ela suplicava-lhe que expelisse de sua filha o demônio. Disse-lhe Jesus: "Deixa primeiro que se fartem os filhos, porque não fica bem tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cães”. Mas ela respondeu: "É verdade, Senhor; mas também os cachorrinhos debaixo da mesa comem das migalhas dos filhos”. Jesus respondeu-lhe: "Por causa desta palavra, vai-te, que saiu o demônio de tua filha”. Voltou ela para casa e achou a menina deitada na cama. O demônio havia saído.

 

Evangelho de hoje: Mc 7,24-30

8 de Fevereiro de 2017 às 15:38

Macacos mortos são localizados em Uberaba e mobilizam Saúde

Secretário de Saúde do município vai falar hoje com a imprensa sobre os detalhes da localização dos dois primatas mortos na cidade

Dois macacos mortos foram encontrados ontem em Uberaba, conforme informação da Secretaria Municipal de Saúde. O material já foi coletado imediatamente e encaminhado ao laboratório oficial do Estado para verificar se houve contaminação por febre amarela.

No comunicado, a Secretaria Municipal de Saúde posicionou que, por enquanto, não será divulgado o local onde os animais foram encontrados. A pasta justifica que será mantido sigilo para evitar pânico na população, mas assegura que todas as ações preventivas foram adotadas. “Somente serão divulgados quando o resultado do exame for liberado pelo Estado”, continua a nota.

A secretaria declara que um bloqueio com agentes de saúde e motofogs já foi realizado na área onde os macacos foram localizados, bem como a imunização dos moradores da região. Além disso, a pasta informa que a equipe técnica do Departamento de Zoonoses deu início à investigação no local onde foram encontrados os primatas, pois nem todo óbito é em decorrência da febre amarela.

A nota também ressalta que o município já solicitou mais um lote de vacinas contra a febre amarela ao Estado e ainda aguarda retorno da demanda. O pedido é de, no mínimo, 10 mil doses para evitar o desabastecimento das unidades de saúde nos próximos dias.

O secretário municipal de Saúde, Iraci Neto, dará entrevista coletiva hoje à imprensa para mais detalhes sobre o caso e as medidas preventivas a serem adotadas no município.

Alerta. Ontem, unidade móvel já começou a percorrer fazendas perto da divisa com os municípios de Sacramento e Conquista para realizar a vacinação em domicílio. A medida foi tomada devido à confirmação de febre amarela silvestre em Sacramento na semana passada.

Em 2017, já foram notificados 869 suspeitas de febre amarela em Minas Gerais. Até o momento, 184 casos foram confirmados e 54 descartados. Em relação às mortes, 141 pacientes morreram com suspeita da doença. Desses, 60 tiveram diagnóstico comprovado. As ocorrências estão concentradas na região de Teófilo Otoni, Governador Valadares, Coronel Fabriciano e Manhumirim.

Fonte: JM Online

8 de Fevereiro de 2017 às 09:52

Traficante morando recente em Coromandel é preso depois de denúncia

Com ele foi encontrada cocaína e maconha

COROMANDEL (MG) -  No  dia 07, por volta das 19h52min, após denúncia anônima que um homem magro, de cor de negra, trajando bermuda e uma blusa de cor branca estaria traficando drogas no Bairro Santa Maria próximo a "Cooxupe", foi iniciado o patrulhamento e o suspeito abordado, sendo localizado no bolso da sua blusa do lado direito, um tablete de  maconha, sendo o suspeito identificado como oriundo da cidade de Pirapora/MG, com várias passagens por tráfico, tentativa de homicídio, entre outras passagens. 

Foi realizada uma busca na residência do autor e encontrado em um dos quartos dentro de uma lata de achocolatado Nescau uma pequena quantidade de cocaína.

Foram feitas as apreensões das drogas e celular e o autor preso sendo conduzido a Delegacia.

Segundo o suspeito está morando em Coromandel a cerca de dez meses.  

8 de Fevereiro de 2017 às 08:23

Indústria de chocolate segura os preços e projeta Páscoa melhor em 2017

Fabricantes de ovos de Páscoa comemoram data distante dos pagamentos de início de ano

A Páscoa deste ano será celebrada apenas no dia 16 de abril, mas as empresas produtoras de chocolates já aguardam ansiosamente pela data na esperança de um resultado melhor do que o registrado no ano passado. Para que a expectativa seja concretizada em meio ao momento de cautela dos consumidores, a alternativa do setor é segurar os preços dos ovos de chocolate.

Para o vice-presidente de chocolate da Abicab (Associação Brasileira das Indústrias de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados), Afonso Champi, a Páscoa deste ano é vista com muita confiança pela indústria. Ele afirma que o setor está preparado para satisfazer a todos os paladares e perfis de consumidores.

— Para nós, da indústria, é necessário ter oferta para atender todas as demandas. E teremos produtos de valor agregado mais baixos, produtos mais sofisticados e a recomposição de ovos para atender todas as necessidades. [...] Não dá para dizer que a linha de ovos menores é uma tendência, mas ela tem que ser atendida por todas as marcas. Os consumidores que gostam de uma determinada marca procuram ser atendidos por todas as demandas que eles buscam.

Gerente de marketing da Ferrero, Henrique Martini, diz que a empresa decidiu apostar neste ano não somente na oferta de ovos de Páscoa, mas também nos itens da linha regular. Segundo ele, os preços dos produtos da indústria para a data vão variar entre R$ 15 e R$ 70, sem reajuste em relação ao ano passado.

— O valor unitário de todos os produtos não aumentou. Toda a nossa linha regular não subiu o preço e os ovos não tiveram uma alta por causa da readequação da oferta.

O gerente de marketing da Arcor, Nicolas Seijas, afirma que a empresa adotou um aumento de preço na faixa de 5% para os produtos de Páscoa neste ano, valor abaixo da inflação calculada nos últimos 12 meses, que fechou 2016 na casa dos 6,29%. A avaliação de Seixas é de que consumidor vai continuar com uma postura racional e vai buscar a melhor relação entre preço e qualidade.

— Temos dois ovos que serão vendidos R$ 19,90 cada. E nenhum produto da companhia vai ultrapassar os R$ 40. Essa foi uma meta que a gente mirou no consumidor de maior valor agregado. A gente foi muito exigente para não superar essa barreira psicológica do consumidor que quer presentear.

O reajuste abaixo da inflação também aparece como uma realidade nos produtos da Cacau Show. De acordo com diretora de marketing da empresa, Raquel Paternesi, a expectativa da companhia é crescer cerca de 14% com a ajuda do reajuste menos intenso dos preços.

— Fizemos a nossa lição de casa buscando produtividade, eficiência e seleção de ingredientes para segurar esse preço e fazer uma oferta de Páscoa bastante atrativa.

O momento de dificuldade econômica também manteve os preços em um menor patamar nas lojas do Grupo CRM, responsável pelas marcas Brasil Cacau e Kopenhagen. Para a vice-presidente de marketing do núcleo, Renata Vichi, a previsão de crescimento em relação a 2016 é de 10% e o reajuste deste ano no valor dos produtos será na faixa de 8%.

— Nós repassamos ao consumidor menos do que a gente foi impactado. Teve variação cambial e o nosso dissídio foi de 9,6%. Tivemos a preocupação em segurar um pouco o preço neste momento [de crise].

Data

A aposta positiva para o setor durante a Páscoa deste ano também tem relação com a data da celebração, realizada em um período do ano com menor aperto no bolso dos consumidores. A gerente de marketing Garoto, Keila Broedel, avalia que o evento no dia 27 de março do ano passado é ruim pelo período próximo ao do pagamento das contas de início de ano, tais como IPVA, IPVU e material escolar.

— Para 2017, a Páscoa já passada do primeiro trimestre com as dívidas de início de ano e o consumidor já se adaptou à realidade e está mais propenso a presentear.

A percepção de Keila é também partilhada por Seijas, da Arcor. Ele analisa que a data em um mês mais distante permite que o consumidor realize um planejamento prévio. Vichi é também comemora e afirma que “as Páscoas em abril são tradicionalmente muito melhores do que as de março”.

Além da celebração em um período do ano menos favorável, o gerente de marketing de sazonais da Lacta, Ricardo Reis, ressalta que a Páscoa 2016 aconteceu em meio ao processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

— Hoje, o Brasil vive um cenário político menos turbulento e a data agora no dia 16 de abril é melhor para a indústria.

Fonte: Alexandre Garcia, do R7

8 de Fevereiro de 2017 às 08:20

Cunha diz que tem aneurisma como dona Marisa e pede tratamento fora da prisão

Audiência desta tarde foi o primeiro interrogatório do peemedebista diante de Sérgio Moro

Após depor por três horas perante o juiz Sérgio Moro, na Justiça Federal em Curitiba, o ex-presidente da Câmara e ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB) leu uma carta de próprio punho na qual afirma que tem um aneurisma como o que levou a ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva à morte e que não tem condições de se tratar na prisão onde está detido atualmente.

A audiência desta tarde foi o primeiro interrogatório do peemedebista diante de Moro e começou por volta das 15h. Responsável por aceitar o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) ele levou um calhamaço de folhas para a audiência em Curitiba.

Até então, Cunha havia adotado o silêncio como estratégia. Oficialmente, ele não deu qualquer sinal à Polícia Federal e Ministério Público Federal de que quer colaborar com as investigações. Mas logo após ser preso, contratou o criminalista Marlus Arns, de Curitiba, responsável por algumas das delações da Lava Jato.

Nesta ação, a segunda em que Cunha é réu na Lava Jato, o deputado cassado é acusado de ter recebido em suas contas na Suíça propinas de ao menos R$ 5 milhões referentes à aquisição, pela Petrobras, de 50% do bloco 4 de um campo de exploração de petróleo na costa do Benin, na África, em 2011.

O negócio foi tocado pela Diretoria Internacional da estatal, cota do PMDB no esquema de corrupção.

O Ministério Público Federal sustenta que parte destes recursos foi repassada para Cláudia Cruz, mulher de Eduardo Cunha, também em contas no exterior — a transação está sendo investigada em outra ação, específica contra a mulher do peemedebista.

Fonte: Estadão