# Notícias Gerais

18 de Maio de 2017 às 12:45

Andréa, irmã de Aécio Neves é presa em Nova Lima, na região metropolitana de BH

Em Belo Horizonte, também são cumpridos mandados de busca e apreensão em endereços ligados a a Aécio Neves e na casa do senador Zezé Perrella

A Polícia Federal (PF) prendeu na manhã de hoje (18) Andrea Neves, irmã do senador Aécio Neves (PSDB-MG). Ela foi localizada em um condomínio em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Foi expedido contra ela um mandado de prisão preventiva pelo ministro do Superior Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, relator dos processos ligados à Operação Lava-Jato.

Em Belo Horizonte, também são cumpridos mandados de busca e apreensão em endereços ligados a Andrea Neves e Aécio Neves e na casa do senador Zezé Perrella (PSDB-MG). A PF não informa os locais exatos e nem a quantidade da mandados abertos para a capital mineira. Uma fazenda do senador no município de Cláudio, na região centro-oeste de Minas Gerais, é outro alvo dos policiais.

Saiba Mais

Paralelamente, no Rio de Janeiro, foi cumprido um mandado de busca e apreensão em um imóvel de Andrea Neves. A PF recolheu materiais e equipamentos que passarão por perícia. Os gabinetes de Perrela e de Aécio no Senado, em Brasília, também foram alvo de buscas.

A ação da Polícia Federal ocorre após o jornal O Globo revelar, na noite de ontem (17), que o empresário Joesley Batista, dono do frigorífico JBS, entregou à Justiça gravações que comprometem Aécio Neves. Ele teria pedido R$2 milhões para ajudar a pagar suas despesas com a defesa na Operação Lava-Jato.

O dinheiro teria sido entregue a um primo de Aécio. A entrega foi registrada em vídeo pela Polícia Federal. A PF rastreou o caminho do dinheiro e descobriu que o montante foi depositado numa empresa do senador Zezé Perrella (PSDB-MG).

Joesley também teria apresentado gravações do presidente da República, Michel Temer, em que teria sugerido que se mantivesse pagamento de mesada ao ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e ao doleiro Lúcio Funaro para que esses ficassem em silêncio. A Presidência da República divulgou nota ontem (17) na qual informa que Temer "jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha", que está preso em Curitiba, na Operação Lava Jato.

Fonte: Agência Brasil

18 de Maio de 2017 às 07:53

Evangelho do Dia

Permanecei no meu amor para que a vossa alegria seja plena.

"Como o Pai me ama, assim também eu vos amo. Perseverai no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, sereis constantes no meu amor, como também eu guardei os mandamentos de meu Pai e persisto no seu amor. Disse-vos essas coisas para que a minha alegria esteja em vós, e a vossa alegria seja completa”.

Evangelho de hoje: Jo 15,9-11

18 de Maio de 2017 às 07:43

Enem 2017: prazo de inscrição termina na sexta-feira

Interessados em fazer o exame tem até as 23h59 de amanhã para fazer cadastro

Terminam na próxima sexta-feira (19) as inscrições para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2017. Os interessados devem fazer o cadastro na página do Inep, até as 23h59 e efetivar a matrícula com o pagamento da taxa de R$ 82 — o valor pode ser pago até o dia 24 de maio.

Estão isentos do pagamento da taxa estudantes de escolas públicas que concluirão o ensino médio em 2017; os participantes de baixa renda que integram o CadÚnico (Cadastro Único do Governo Federal) e os que se encaixam na Lei 12.799/2013 que, entre outros critérios, isenta o pagamento daqueles com renda igual ou inferior a um salário mínimo e meio, ou seja, R$ 1.405,50. Os candidatos com deficiência, déficit de atenção, dislexia, entre outros, poderão solicitar atendimento especial ou tempo adicional de prova no ato da inscrição, com apresentação de laudo médico.

Segundo informações divulgadas nesta quarta-feira (17), já foram registradas 4.540.126 de inscrições. A expectativa do Ministério da Educação é que 7 milhões de estudantes se inscrevam no exame neste ano. Em 2016, o número chegou a 9,2 milhões.

Fonte: R7

18 de Maio de 2017 às 09:57

O que diz a Constituição em caso da saída de Michel Temer da Presidência

Em caso de impeachment ou cassação, caberá ao Congresso eleger o novo presidente do País




A possível renúncia ou impeachment do presidente Michel Temer (PMDB) abre precedente para algo nunca visto na história do Brasil: uma eleição indireta na qual os parlamentares nacionais escolheriam o novo comandante do País.

Como o Brasil não possuí vice-presidente desde o afastamento da ex-presidente Dilma Rousseff, o primeiro nome da linha sucessória do governo é o do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (PMDB-RJ). Ele assumiria temporariamente e convocaria uma eleição indireta, já que a chapa que elegeu Temer já completou mais da metade do mandato.

A saída do presidente ganhou destaque após a informação de que Temer teria sido gravado dando o aval para o pagamento de propina para comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), segundo informações publicadas pelo jornal O Globo. Na Câmara, um grupo de deputados já se manifestou no plenário pedindo o impeachment do peemedebista.

Além da abertura de um possível processo de impeachment, Temer pode ser investigação pela PGR (Procuradoria-Geral da República), já que a imunidade não abrange ações no exercício da Presidência.

O que diz a Constituição Federal em caso do afastamento de Temer do poder?

O artigo 81 da Constituição afirma que a realização de eleição indireta para presidente e vice-presidente caso os cargos fiquem vagos na segunda metade do mandato. Ou seja, a partir de 1º de janeiro de 2017.

“Art. 81. Vagando os cargos de Presidente e Vice-Presidente da República, far-se-á eleição noventa dias depois de aberta a última vaga.
§ 1º - Ocorrendo a vacância nos últimos dois anos do período presidencial, a eleição para ambos os cargos será feita trinta dias depois da última vaga, pelo Congresso Nacional, na forma da lei.
§ 2º - Em qualquer dos casos, os eleitos deverão completar o período de seus antecessores”.

Quem poderia disputar a eleição indireta?

Ainda não está clara a forma como a eleição indireta seria conduzida no Congresso Nacional porque não há uma lei que regulamente o artigo 81 da Constituição. Não existe a definição também de quem poderia se candidatar ao cargo. A última norma a tratar do assunto é de 1964 e, portanto, pode estar em conflito com a Constituição vigente.

Em 2013, uma comissão mista do Congresso aprovou um PL (Projeto de Lei) 5821/2013 com o objetivo de acabar com o vácuo normativo e regulamentar o dispositivo da Constituição, mas a discussão está parada desde então, com o PL pronto para ser votado no plenário da Câmara.

Entre as regras definidas pelo projeto está, por exemplo, a necessidade de que o candidato seja filiado a partido, tenha pelo menos 35 anos de idade e não seja enquadrado na Lei da Ficha Limpa. O PL estabelece, ainda, voto aberto de deputados e senadores para a eleição do novo presidente da República.

Fonte: R7

18 de Maio de 2017 às 07:47

Lava Jato: Polícia Federal faz buscas no Congresso e no apartamento de Aécio Neves

São cumpridos mais de 40 mandados de busca e apreensão na manhã desta quinta-feira (18)

A Polícia Federal está nas ruas na manhã desta às 6h desta quinta-feira (18) realizando uma nova etapa da Operação Lava Jato. São cumpridos mais de 40 mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro, em Minas Gerais e em Brasília. Entre os principais alvos está o senador Aécio Neves (PSDB (MG).

A ação foi autorizada pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF (Supremo tribunal Federal).  Os policiais estão no apartamento de Aécio na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, no Rio. As buscas também acontecem na residência da irmã do senador, Andrea Neves.

Ainda ocorrem busca em um endereço ligado a Eduardo Cunha e no Congresso Nacional, em Brasília. Ainda não se sabe em quais gabinetes a Policia Federal realiza a operação.

Também foram vistos policiais em um prédio na Rua Samuel Pereira, no bairro Anchieta, em Belo Horizonte, onde o senador mineiro tem um apartamento.

A operação teria começado após a delação de Joesley Batista, dono da JBS, que gravou Aécio Neves pedindo a ele R$ 2 milhões para pagar a própria defesa na Lava Jato.  O valor teria sido entregue a um primo do senador, em espécie, que teria levado as notas para uma empresa do senador Zezé Perrella (PMDB-MG).

O empresário também gravou o presidente Michel Temer dando aval para a compra do silêncio do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Ele disse à Procuradoria-Geral da República (PGR) que fazia pagamentos para evitar que o ex-deputado falasse o que sabe a investigadores.

A revelação foi feita pelo colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.

Fonte: Estadão e R7 (Foto: Leslie Leitão/TV Globo)

17 de Maio de 2017 às 20:59

Donos da JBS dizem ter gravação de Temer dando aval a propina para silenciar Cunha

'Tem que manter isso, viu?', teria dito o presidente ao saber de mesada ao ex-deputado

Os donos da empresa JBS, Joesley Batista e o seu irmão Wesley Batista, disseram ter gravado uma conversa na qual o presidente Michel Temer teria dado aval a propina para comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). As informações foram reveladas pelo jornal O Globo.

A gravação, feita por Joesley em março com um gravador guardado no bolso do paletó, foi citada na declaração que os controladores da JBS deram à Procuradoria-Geral da República em abril durante o processo para firmar acordo de delação premiada.

Segundo o jornal, Temer teria sido gravado em conversa com Joesley indicando o deputado Rocha Loures (PMDB-PR) como o interlocutor para resolver um assunto da J&F, controladora da JBS.

No diálogo, o presidente recebe do empresário a informação de que ele estava pagando uma mesada Cunha e ao operador Lúcio Funaro, ambos presos,para ficarem calados. Temer então teria dito:

— Tem que manter isso, viu?

O dinheiro de Cunha seria entregue por meio de Altair Alves Pinto. Desde que está preso, o parlamentar teria recebido R$ 5 milhões, segundo Joesley. Uma gravação feita posteriormente teria flagrado Rocha Loures recebendo uma mala com R$ 500 mil de Joesley.

Ainda de acordo com o jornal, na última quarta-feira (10), os irmãos foram ao gabinete do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF (Supremo Tribunal Federal), e confirmaram as declarações à PGR. Cabe a Fachin homologar a delação de Joesley Batista e o seu irmão Wesley Batista.

No depoimento para tentar fechar a delação, Joesley teria afirmado também que, com o PT, o contato para a propira seria o ex-ministro Guido Mantega.

Os depoimentos dos donos da JBS foram tratados de todo o cuidado pela PGR. Durante todo o processo, os irmãos chegaram por uma entrada secundária em carros particulares.

Procurado pelo R7, o Palácio do Planalto não se manifestou até o momento. A defesa do deputado Eduardo Cunha disse que não vai se manifestar no momento. A reportagem não conseguiu contato com o deputado Rocha Loures, nem com a JBS.

Aécio Neves

Também segundo O Globo, o senador Aécio Neves aparece envolvido em corrupção ligada à JBS. Ele teria sido filmado pela PF (Polícia Federal) pedindo R$ 2 milhões para o dono a Joesley. O dinheiro teria sido entregue para primo de senador.

A PF rastreou o dinheiro e afirma que foi depositado em empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG). Na gravação, Aécio pedia por dinheiro para pagar as despesas da Lava Jato. Há gravações do senador pedindo dinheiro para Joesley e da entrega do dinheiro para o primo do senador.

Aécio estava no plenário do Senado quando a informação veio à tona. O parlamentar deixou o local logo após olhar o celular.

Fonte: R7

18 de Maio de 2017 às 18:33

PRF apreende R$ 2 milhões em cigarros contrabandeados, na BR-365

O homem e os materiais foram encaminhados à Polícia Federal (PF) para providências.

A Polícia Rodoviária Federal de Uberlândia apreendeu nesta manhã de quarta-feira, 17, na BR-365, uma carreta carregada com cigarros contrabandeados. O veículo foi abordado em uma operação de rotina e, ao consultar a carga, os agentes descobriram duas mil caixas contendo 50 pacotes de 20 maços de cigarros em cada um.

Um homem, de idade ainda não informada, foi detido.

De acordo com a PRF, a carga é avaliada aproximadamente em R$ 2 milhões. O homem e os materiais foram encaminhados à Polícia Federal (PF) para providências.

Fonte: V9 Vitoriosa


17 de Maio de 2017 às 09:55

Esforço da Samarco para recuperar rio Doce deve gerar trabalho extra no futuro

Estudo da USP em parceria com Greenpeace revela erros e acertos em replantio de florestas

A estratégia utilizada na recuperação das florestas e matas ciliares destruídas pela tragédia da Samarco em Minas Gerais deverá gerar trabalho extra no futuro, afirma o pesquisador da USP que comandou um estudo, em parceria com o Greenpeace, sobre a recuperação das margens dos rios devastadas pela lama do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG).

“O esforço que a Samarco e a Renova estão fazendo é válido, mas [foi] feito sob muita urgência, meio no desespero. Falta olhar para essa recuperação com mais cuidado, de um ângulo experimental, testando em áreas pequenas o que é mais eficiente e, então, replicar em larga escala”, afirma o professor de Ciências Biológicas da Esalq/USP Ricardo Ribeiro.

A fundação Renova foi criada em março de 2016 após um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) firmado entre o MPF (Ministério Público Federal) e Samarco, BHP Billiton e Vale, suas acionistas.   

Ribeiro aponta como falhas no projeto o plantio somente de plantas de crescimento rápido, processo conhecido como adubo verde, e a escolha das espécies usadas nesta etapa. “Para reduzir custos e prazos, o método mais usado é plantar espécies nativas junto com o adubo verde. Essa estratégia deles vai aumentar significativamente o custo”, afirma, destacando que o modelo já é usado em áreas de floresta em todo o Brasil com resultados positivos.

Após a tragédia, a Samarco contratou a multinacional Golder Associates para executar a recuperação ambiental das áreas atingidas. Foram selecionadas 15 espécies de rápido crescimento. “Estas espécies, algumas leguminosas, servem para proteger o solo, incorporar matéria orgânica nele e prevenir a erosão”, explica Leonardo Silva, engenheiro agrônomo à frente do projeto na fundação Renova, que substituiu a Golder.

Silva explica que foi escolhido um trabalho em duas etapas. A primeira contempla a recuperação de 101 afluentes em 113 km dos rios Gualaxo do Norte, Carmo e Doce, e o plantio desse adubo verde em 2.100 hectares (área maior que a ilha de Fernando de Noronha) até dezembro de 2017. “A partir disso faremos o plantio de 600 hectares de florestas até 2020, acompanhando o desenvolvimento até 2026”, conta.

O professor titular da USP critica a escolha das espécies.“Algumas destas plantas são agressivas com as nativas, então terão de ser retiradas manualmente pela Renova, o que representa mais trabalho e custo”, afirma, comentando que optaria por duas espécies que são mais utilizadas em recuperações de floresta em todo Brasil e consideradas mais seguras.

Dimensão inédita

Em 5 de novembro de 2015, 34 bilhões de litros de rejeitos de mineração de ferro da mineradora Samarco foram lançados no meio ambiente após o rompimento da barragem de Fundão, que ainda causou o transbordamento da barragem Santarém. Grande parte desse material se depositou nas margens de rios em Minas Gerais, formando uma espécie de tampão sobre o solo, como conclui o estudo produzido pela Esalq/USP e divulgado nesta segunda-feira (15).

A dimensão da tragédia e seu impacto representam um desafio nunca enfrentado por especialistas em recuperação ambiental, nem mesmo em outras partes do mundo, segundo Ribeiro. “Estamos desenvolvendo uma metodologia que nunca foi usada, e esperamos que não volte a ser”.

De acordo com o texto, “a lama de rejeito, após a secagem, forma uma crosta espessa e compacta que funciona como barreira física ao desenvolvimento de raízes e novas plantas, além de dificultar a infiltração de água no solo compactado. Essa crosta formada pelos rejeitos de minério apresenta níveis muito baixos de matéria orgânica e de alguns nutrientes fundamentais para o desenvolvimento de espécies florestais”.

Ribeiro e a Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queirós) são consultores no projeto de recuperação de 20.000 hectares realizado no Espírito Santo pela empresa de celulose Fibria. Ele comenta o passo-a-passo do trabalho, o maior do Brasil atualmente. "Eles começaram plantando apenas árvores nativas, mas acabaram adotando o método misto com adubo verde porque diminui muito o custa com resultados iguais ou melhores”.

Segundo Leonardo Silva, da Renova, a área a ser recuperada em Minas é bem menor, cerca de 10% da área da Fibria no Espírito Santo, mas nunca foi feita uma restauração de floresta sobre lama de rejeitos nessas proporções. “Não estamos preocupados com o gasto gerado; o método a ser adotado foi escolhido em parceria com a Emater (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais) por ser considerado o mais eficaz”, defende. Em sua página institucional, a estatal mineira afirma ser referência nacional e primeira empresa do ramo no Brasil.

Árvores Mortas

Outro problema visível às margens do rio Gualaxo do Norte, o mais próximo a Bento Rodrigues e mais afetado na tragédia, é a grande quantidade de árvores mortas. Às margens dos rios ficam povoados também devastados, como Gesteira e Paracatu de Baixo, e também muitas áreas de florestas.

Muitas árvores dessas áreas foram arrancadas pelo ‘tsunami’ de lama ocorrido em 5 de novembro de 2015. No entanto, as que permaneceram e estão mais próximas dos leitos dos rios estão aparentemente mortas.

“Nós questionamos se deveríamos arrancar estas árvores — mas antes estamos aguardando, porque algumas podem se regenerar”, conta Leonardo Silva.

— No entanto, foi avaliado que a existência destas árvores é importante por funcionarem como poleiros de aves. E estas aves realizam a adubação do solo e a dispersão de sementes através das fezes.

Entre erros e acertos apontados, ambos especialistas afirmam que o ineditismo da situação gerada pelo maior rompimento de uma barragem de mineração no mundo apresenta um desafio para a recuperação do meio ambiente, em uma região já historicamente degradada pela exploração da floresta e matas ciliares para a agricultura e pecuária.

Fonte: Gustavo Basso, do R7

17 de Maio de 2017 às 09:10

Mestre de obras patense de 40 anos está desaparecido e família pede ajuda

Roginaldo Nunes Braga foi visto pela última vez às 5h45min desta segunda-feira (15) no Posto Patão e desde então não deu mais notícias.



O mestre de obras Roginaldo Nunes Braga, 40, está desaparecido desde a manhã desta segunda-feira (15). Natural de Patos de Minas, ele foi visto pela última às 5h45min no Posto Patão e desde então não deu mais notícias.

Segundo a esposa de Roginaldo, a Polícia Militar registrou que a caminhonete Chevrolet/S10, de cor prata, com placas OP1-1662 de Patos de Minas, passou pelo Posto Rodoviário de Carmo do Paranaíba por volta das 6h35min.

Desde as 10h30min da manhã de ontem, o celular de Roginaldo cai apenas na caixa de mensagens. Ele seguia para Pará de Minas, onde iria prestar um serviço para a empresa de Uberlândia onde trabalha atualmente como mestre de obras.

Antes de desaparecer, Roginaldo Nunes Braga trajava o uniforme da firma, uma camisa polo de cor cinza claro. Familiares solicitam ajuda para localizar o paradeiro de Roginaldo. Qualquer informação, entrar em contato pelos números 99975-5452 (Silésia) e 99246-2018 (Yasmim).

Fonte: Patos Notícias